O diz que disse!

A não ser os mudos, toda a gente fala! É normal numa sociedade comentar-se isto e aquilo aqui e acolá. O que não é normal é a história do “quem conta um conto acrescenta um ponto”. Nunca percebi o verdadeiro prazer que há em alterar histórias reais…a não ser que seja pra nao serem consideradas plágio…aí já aceito!

Existem as pessoas que não devem ter útero e “emprenham” pelos ouvidos…essas também são engraçadas porque nunca te falam em nomes, mas “ouviram” sempre dizer alguma coisa. Depois, essas pessoas têm duas hipóteses :

  • ou acusam e o acusado cala-se,
  • ou acusam, e acabam por dizer que te adoram mais que tudo na vida porque te defendes com a verdade e a verdade é lixada…ja dizia o Jorge Palma que “a verdade é uma maluca” “o sistema é antigo e não poupa ninguém” (e lá sai a criança do ouvido).

Eu cá preocupo-me com a minha consciência…com a minha reputação, que se preocupem os outros! Escrevo o que penso…penso o que digo e digo o que penso — TENHO ÚTERO, tenho opinião própria e até conhecer o Alzheimer ainda sei o que digo! (Todos sabemos).

Despeço-me assim deste meu desabafo. Prefiro pessoas “brutas dos queixos” e que me digam a verdade…porque miminhos e abraços? As cobras matam a abraçar!!!!

Adeus!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Sofia Sineiro’s story.