A Universidade Gravana continua a todo o gás

Na ilha do Príncipe, deparamo-nos com uma grande atividade de comércio local. Existem muitas quitandas (pequenas barracas onde se vende de tudo), barbeiros e cabeleireiros, lojas de carregamento de saldo para telemóvel, alguns supermercados, petisqueiras, um ou outro café e lojas de roupa. Mas, a grande parte dos empreendedores carece de noções básicas de gestão do dia-a-dia de um negócio. Ao falarmos com os comerciantes, percebemos que a maior parte não tem conhecimento dos fatores que influenciam a procura de um bem, de qual é o lucro gerado pelo seu negócio e da necessidade de imputação dos vários custos para se chegar ao preço de um produto.

A Universidade Gravana foi criada com o objetivo de superar gradualmente estas lacunas e fornecer conhecimentos básicos na gestão aos comerciantes do Príncipe, bem como a futuros empreendedores. Nestas formações temos encontrado um grande leque de pessoas, incluindo o Kiluange que tem já a sua quitanda e que pretende criar o primeiro talho no Príncipe, mas também o Dimas e o Tomás, dois jovens de 19 anos que aspiram abrir uma loja de computadores na ilha.

As formações da Universidade Gravana abrangem as áreas da Economia, de Finanças e Contabilidade, de Gestão e Estratégia Empresarial, de Marketing, de Tecnologias da Informação e ainda de Planos de Negócio e Negociação. Em todas as formações discutimos exemplos práticos relacionados com os negócios que existem no Príncipe, o que ajuda em muito os nossos formandos a conseguirem ver a teoria aplicada à sua realidade.

É com enorme satisfação que vemos os vários participantes a analisar e a fazer recomendações uns aos outros para que, juntos, consigam melhorar os seus negócios. Com estas formações, estamos a ajudar os atuais comerciantes e os futuros empreendedores da ilha a potenciarem e a valorizarem o seu negócio, certos de que estamos a contribuir para fazer a diferença na vida destas pessoas.

Catarina V