Como priorizar a sustentabilidade na sua empresa

Recentemente estive em um fórum onde foi pautado o grau de importância da sustentabilidade nas empresas. Debatemos como solucionar determinados temas socioambientais e priorizá-los nos negócios. Isso tem se tornado um dos principais objetivos das grandes empresas, mas, infelizmente, muitas outras se mobilizam somente quando o negócio está ameaçado.

Se atentar à preservação da natureza vai além de um ato legal, mas também gera valor ao negócio. Inúmeras são as possibilidades de uma empresa se tornar sustentável, mas o que ela pode fazer se mescla com outras centenas de obrigações que precisa cumprir.

E como saber quais prioridades socioambientais para a sua empresa? Desenvolver práticas sustentáveis são requisitos legais, ambientais e sociais, que produzem crescimento, perpetuidade, integração estratégica e transformação da sociedade. Mas especificamente para empreendimentos, o processo determina novas necessidades de produção de relatórios que indiquem o desempenho da empresa em questões socioambientais, identifica possíveis riscos, além de terem chance em aproveitar situações que beneficiem a empresa, como por exemplo, a reciclagem de materiais, economia de energia, entre outros.

Além de preparadas para supostos riscos, os empresários precisam compreender quais aspectos sustentáveis vão atender seu empreendimento e como profissionalizar essa gestão. No planejamento estratégico podemos contar com a representação gráfica dos temas de sustentabilidade por meio do que chamamos de “Matriz de materialidade”. Através dessa ferramenta, é possível identificar quanto os assuntos são relevantes a partir dos seguintes status: reativo, funcional, integrado e proativo.

A etapa reativa diz respeito ao atendimento dos requisitos legais, ambientais e sociais, identificando quais os possíveis temas exprimem maior relevância para empresa, quais causaram maior impacto positivo na mídia e, principalmente, engajamento de stakeholders internos e externos. Em seguida o processo funcional caracteriza os custos mínimos a serem utilizados, capazes de ampliar a participação e o grau de relevância de cada tema na empresa.

Já a etapa integrada requer um levantamento da reação dos stakeholders por meio de mecanismos de engajamento que permitem identificar as preferências desse público, analisando a diversidade e a capacidade que os mesmos têm em impactar a empresa. Por fim, na etapa proativa há uma última análise a partir da comparação do impacto do negócio e a importância dos assuntos para os diversos públicos.

Pesquisando e selecionando temas, será possível projetar o tamanho do impacto na empresa e identificar os assuntos a serem trabalhados na gestão sustentável. Para ter ciência do resultado da gestão socioambiental, a empresa deve analisar os custos, a atração e retenção de talentos, gestão de riscos, preços das ações, entrada em novos mercados, cofinanciamento e valores intangíveis gerados à sociedade.

Desenvolver a Matriz de Materialidade exige eficiência e atenção, por isso é primordial determinar um núcleo na empresa que possa focar nesse trabalho, mesmo que haja um instituto, fundação ou qualquer outro grupo fomentador de projetos contratado para tal objetivo.

É de suma importância desenvolver o grupo e participar ativamente da projeção dessas matrizes, selecionar os temas e analisar as relevâncias. Durante esse processo é interessante que empresa compreenda o impacto de suas ações diante do público interno e externo, percebendo como a sustentabilidade pode ser também um grande negócio.

Like what you read? Give Paulo Da Pieve a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.