Os 7 maiores erros de quem está escolhendo um coworking e como evitá-los

Conheça os erros que todo mundo faz quando está fechando contrato com um coworking e saiba como evitar futuras dores de cabeça.

No mundo inteiro, empresários, freelancers, empreendedores e profissionais em início de carreira estão adotando os coworkings como local de trabalho oficial graças as vantagens que esse modelo traz em relação ao uso do escritório tradicional. Além do aluguel ser mais barato, não é necessário se preocupar em comprar móveis e materiais de escritório, não há preocupações com contas ou manutenção do prédio, e ainda de quebra o coworker aumenta seu networking e se conecta com tudo que há de mais inovador. A maioria dos coworkings também possuem facilidades e espaços apropriados para a realização de diversas atividades como reuniões e palestras.

Obviamente, nem todos os espaços são iguais. Encontrar o lugar ideal para as necessidades específicas de cada empresa exige bastante pesquisa e atenção. Vamos listar os erros mais comuns que as pessoas fazem quando estão escolhendo seu mais novo coworking e como evitá-los:

1. Não conhecer a cultura do local

Quando decidir trabalhar em um coworking, você tem de estar ciente de que a partir de agora está participando de uma comunidade e naturalmente, vão haver outras pessoas no local. Nesses espaços podem ocorrer eventos, happy hours e momentos de descontração que podem às vezes interromper seu trabalho. Atividades em grupo são excelentes para o dia a dia no trabalho, mas podem incomodar se você estiver precisando se concentrar para finalizar aquele relatório com o prazo para ontem.

Antes de fechar contrato, procure conhecer a rotina de atividades do espaço. Pergunte quais eventos ocorrem regularmente e se você precisa participar ativamente deles. Se você é daquelas pessoas que se incomodam com esse tipo de coisa, pergunte se há um espaço separado mais silencioso em que você possa trabalhar durante os momentos mais agitados.

2. Não considerar o tipo e as necessidades da sua empresa

Muitos coworkings são planejados para tipos específicos de profissionais, logo cada um possui um clima diferente e uma cultura própria, portanto você vai precisar verificar se a sua empresa se encaixará naquele ambiente. Se você é um arquiteto querendo expandir sua rede de contatos, por exemplo, a melhor opção é ficar em um coworking que já possui outros arquitetos, designers, engenheiros e urbanistas, se você trabalha com TI, a melhor opção é escolher um coworking onde poderá conhecer e compartilhar ideias com empresas e profissionais de tecnologia. Cada um tem seu lugar onde se sente bem!

3. Não olhar no mapa

Localização é fundamental para qualquer negócio, para ser visto em um mundo tão competitivo como o nosso é necessário estar no local certo, faz-se necessário escolher um lugar que além de ser bom para a sua empresa, seja de fácil acesso para fornecedores e clientes. A região é bem irrigada por transporte público? Dá para estacionar o carro? Tem restaurantes ou cafés próximos para uma reunião mais descontraída?

4. Não perguntar sobre instalações e comodidades

Coworkings costumam oferecer todas as comodidades semelhantes as que você encontra em qualquer grande empresa. Antes de se decidir, é importante saber quais instalações você pode acessar e quais são os termos de uso. Existe uma área dedicada somente aos coworkers? Posso utilizar as salas de reunião a vontade? Posso levar meu cliente em qualquer parte do prédio?

Saber o que você pode fazer e o que não pode de acordo com o contrato é extremamente importante para fazer valer cada centavo!

5. Não perguntar sobre acesso e segurança

Uma das grandes vantagens do coworking é o fácil acesso ao seu posto de trabalho e demais instalações, mas quem mais pode acessar esses espaços? Se você costuma deixar seus documentos e seu computador a noite toda e só volta para utilizar no dia seguinte, é importante saber como funciona o esquema de segurança do local.

6. Não perguntar sobre as taxas de uso

“Coworkings oferecem todas as instalações e comodidades que você precisa para gerir seu negócio”, OK, mas não significa que tudo isso já está incluso no valor já pago. Preciso pagar pela impressão? Quanto custa a hora da sala de reunião? E se eu precisar trabalhar com a minha equipe no domingo? São perguntas importantes a serem feitas para evitar o desconforto de ter que arcar com uma taxa inesperada.

7. Não perguntar sobre as penalidades em caso de quebra de contrato

Muitos coworkings oferecem planos de assinatura mensais, diários ou até por hora utilizada. Se você pretende assinar um plano de maior período como seis meses ou de um ano não deixe de verificar quais são as penalidades em caso de quebra de contrato, alguns espaços podem exigir multa contratual, outros apenas pedem que você informe a quebra com um mês de antecedência. De novo, é importante perguntar para não ter gastos inesperados.

Com certeza você e sua empresa só irão gerar grandes resultados se estiverem em um local aonde estejam adaptados e se sintam bem, por isso tirar todas as dúvidas antes de escolher o seu coworking é fundamental. Se você estiver precisando de uma ajudinha na pesquisa, conte com o TemLugar! ;)