Cacatua, lipdub e ravioli.

As vezes a minha mente é muito zoas, ela faz eu pensar em uma palavra aleatória, tipo: Cacatua. ok. Pensei Cacatua. Vida que segue. Mas não, não é só isso. Não satisfeita em pensar uma palavra dessas, no meio de milhões de outros pensamentos com sentido, eu sinto vontade de FALAR EM VOZ ALTA essa palavra.

E não importa se estou no meio de uma conversa, se tô sozinha no meio da rua ou quieta no trabalho. Eu pre-ci-so falar essa palavra. 
(Nessa última opção eu vou pro banheiro)

Mais constrangedor do que você falar do nada uma palavra sem sentido, é precisar explicar esse hábito bizarro para as pessoas. Porque pra mim faz muito sentido. Sinto vontade, falo. Agora, enquanto escrevo esse texto, pensei em calopsita. Vou ali no banheiro já volto.