Isis Valverde: uma jovem estrela em retorno triunfal

Caracterizada como Ritinha, sua personagem em “A Força do Querer”. Foto: Fábio Rocha/TV Globo

Ela é uma das estrelas da nova geração de atrizes que surgiu nos anos 2000 e 2010 e é uma de minhas preferidas desta turma. Chegou de mansinho, surpreendendo todo mundo, até emplacar personagens carismáticas de grande sucesso junto ao público e, posteriormente, papeis desafiadores. Ela é Isis Valverde, que acaba de completar 30 anos e está prestes a retornar às telinhas, após dois anos de ausência, em “A Força do Querer”, próxima novela das 21h de Glória Perez.

Nascida na pequena cidade de Aiuruoca, interior de Minas Gerais, Isis começou sua carreira na Globo fazendo um teste para a novela Belíssima, onde viveria a personagem Giovanna. Porém, o papel ficou com Paolla Oliveira, que também estreava na Globo, após uma passagem pela fracassada “Metamorphoses”, da Rede Record. Isis se submeteu a um novo teste: agora, para Ana do Véu, a misteriosa personagem de “Sinhá Moça” (2006), vivida por Patrícia Pillar na versão original de 1986. Desta vez, ela conquistou o papel e já demonstrava ser promissora, apesar da pouca experiência em TV. Pouco depois, participou dos primeiros capítulos de “Paraíso Tropical” (2007), de Gilberto Braga, vivendo um tipo totalmente diferente: Thelma, uma prostituta menor de idade, mau-caráter e sedutora, que faz parte de um plano de Olavo (Wagner Moura) para jogar o mocinho Daniel (Fábio Assunção) na cadeia. A atriz logo se desvencilhou do tipo doce vivido anteriormente e esteve igualmente ótima.

Como Rakelli, em Beleza Pura. Foto: Divulgação/TV Globo
Em TiTiTi, como a mocinha Marcela. Foto: Divulgação/TV Globo

Porém, em 2008 viria o seu primeiro grande estouro na carreira. Em “Beleza Pura” (2008), de Andreia Maltarolli, Isis viveu a espevitada manicure Rakelli, filha da ex-chacrete Ivete (Zezé Polessa), conhecida por sua cativante ingenuidade, seu choro típico e pelo sonho de ser dançarina do programa “Caldeirão do Huck”. Rapidamente se tornou um dos maiores destaques da novela das 19h, revelando uma impressionante veia cômica e formando um par de sucesso com Marcelo Faria, que viveu o pedreiro Robson. A química das telinhas ultrapassou a vida real e os dois atores viveram um romance, que terminou em 2009.

Neste ano, ela entrou para o elenco de “Caminho das Índias”, de Glória Perez, vivendo a sonhadora e romântica Camila, que se apaixona pelo indiano Ravi (Caio Blat) e quer viver com ele, de acordo com os costumes indianos. Este foi o primeiro e único tropeço de Isis, cuja interpretação ainda lembrava trejeitos da personagem anterior. A má impressão foi, felizmente, corrigida no remake de TiTiTi (2010–2011), de Maria Adelaide Amaral. Vivendo sua primeira protagonista, a mocinha Marcela (originalmente de Elizabeth Savalla em “Plumas e Paetês”, trama de Cassiano Gabus Mendes que serviu de base para o remake), ela voltou a encantar o público com uma mocinha cativante, esbanjando química com Caio Castro (que viveu o fotógrafo Edgar), provocando uma grande torcida nas redes sociais. Seu desempenho convincente mostrou que Isis estava se firmando cada vez mais em sua carreira. Mais tarde, em 2012, participou da série “As Brasileiras”, no episódio “A Culpada de BH”, vivendo Catarina, uma mocinha atrapalhada que se envolve com Vitório (Humberto Martins), um homem mais velho. Após uma transa, ele aparenta estar morto, para desespero da jovem. Isis divertiu e reafirmou sua veia cômica na pele da personagem.

Como Suelen em Avenida Brasil. Foto: João Miguel Júnior/TV Globo

O que viria a seguir, porém, consolidaria ainda mais a atriz no campo das grandes estrelas de sua geração. No mesmo 2012, Isis Valverde esteve na novela “Avenida Brasil”, de João Emanuel Carneiro, com mais uma personagem de estrondoso sucesso: a sensual e carismática periguete Suelen. Maria-chuteira convicta, ela se envolveu com vários jogadores do time do bairro do Divino, onde a novela era ambientada. Isis deu um show de carisma, talento, sensualidade e humor com as peripécias da periguete, que ainda rendeu um divertido par romântico com Roni (Daniel Rocha). Sem dúvida, um dos maiores destaques da carreira dela, que recebeu merecidamente vários prêmios de atriz coadjuvante.

Em “O Canto da Sereia”. Foto: Estevam Avellar/TV Globo

Logo depois, veio o maior papel de sua carreira: a cantora de axé Sereia, da primorosa microssérie “O Canto da Sereia” (2013), de autoria de George Moura, Patrícia Andrade e Sérgio Goldenberg, baseada no livro homônimo de Nelson Motta. Embora a atriz emendasse a novela anterior com as gravações da nova obra, Sereia nada tinha a ver com Suelen, evidenciando sua versatilidade. Mesmo a sensualidade, característica das duas personagens, era mostrada aqui de forma bem diferente, uma vez que a cantora usava este poder de uma forma mais misteriosa, em vez do estilo escrachado da periguete. Isis emocionou e dominou sua personagem com muita competência e brilhantismo, mostrando seu mais arrebatador desempenho e formando grandes parcerias com Camila Morgado (sua empresária Mara) e João Miguel (Só Love). Tudo ficou ainda mais evidente nos últimos capítulos, quando Sereia descobre ter um tumor no cérebro e pede para ser assassinada em pleno carnaval de Salvador. Ela protagonizou cenas impactantes e esbanjou brilhantismo. Ainda em 2013, Isis fez sua estreia no cinema em “Faroeste Caboclo”, adaptação da clássica canção da Legião Urbana, interpretando a mocinha Maria Lúcia, que desperta o amor do protagonista João de Santo Cristo (Fabrício Boliveira) e a cobiça do traficante Jeremias (Felipe Abib).

Como Antônia, em Amores Roubados. Foto: Divulgação/TV Globo

Em 2014, Isis Valverde repetiu a parceria com os autores George Moura e Sérgio Goldenberg na microssérie “Amores Roubados”. A atriz viveu Antônia, uma jovem de espírito livre, herdeira de uma vinícola no sertão nordestino, que se envolve com o sedutor Leandro (Cauã Reymond), que também tem casos com a mãe dela (Isabel Favais, Patrícia Pillar) e com Celeste (Dira Paes). O envolvimento dos dois se desenrola em meio a uma trama de ciúmes e vingança. Novamente Isis deu show e se entregou com muita verdade à sua personagem, além de ter apresentado uma química explosiva com Cauã Reymond. Ela ainda fez ótimas parcerias com Murilo Benício (o pai de Antônia, Jaime Favais), Patrícia Pillar e Jesuíta Barbosa (como Fortunato, melhor amigo de Leandro).

Como Sandra, em Boogie Oogie. Foto: Raphael Dias/TV Globo

Recuperada de um acidente de automóvel sofrido no fim de Janeiro/2014, pouco depois da exibição da série, onde fraturou a coluna cervical, Isis voltou à cena no mesmo ano como protagonista da novela das seis “Boogie Oogie” (2014–2015), do autor português Rui Vilhena, estreante no Brasil. Ela interpretou a mocinha Sandra, que perde o noivo em um acidente aéreo no primeiro capítulo e se envolve com Rafael (Marco Pigossi), que tentou salvá-lo. A personagem disputa o coração do rapaz com a ambígua e impulsiva Vitória (Bianca Bin). Porém, um segredo norteia as duas: elas foram trocadas na maternidade por Susana (Alessandra Negrini), amante do malandro Fernando (Marco Ricca), esposo da megera Carlota (Giulia Gam). Sandra foi criada pela humilde Beatriz (Heloísa Perissé) e pelo rígido militar Elísio (Daniel Dantas), enquanto Vitória foi criada no luxo e no conforto por Carlota e Fernando. Apesar da baixa audiência da novela, Isis mais uma vez esteve excelente, criando uma mocinha de muita personalidade e esbanjando química com Marco Pigossi.

Durante o tempo em que esteve fora do ar, Isis chegou a ser cotada para as novelas “Haja Coração” e “Rock Story”. Na primeira, seria a feirante Tancinha, porém, recusou o papel por estar de férias da TV e a personagem foi para Mariana Ximenes. No segundo caso, ela viveria as gêmeas Júlia e Lorena, porém, foi remanejada para a nova novela de Glória Perez às 21h, “A Força do Querer”. As irmãs gêmeas de Rock Story acabaram interpretadas por Nathalia Dill. Ainda participou de projetos de cinema a serem lançados: a comédia “Malasartes e o Duelo com a Morte”, na qual repetirá a parceria com Jesuíta Barbosa (o personagem-título) e interpreta a irmã do protagonista; “Amor.com”, comédia romântica em que ela vive uma blogueira de moda que se apaixona por um youtuber de games, personagem de Gil Coelho; e “Simonal”, cinebiografia do cantor, novamente atuando com Fabrício Boliveira.

Nas gravações de “A Força do Querer” em Belém do Pará. Foto: Estevam Avellar/TV Globo

Atualmente, Isis Valverde está envolvida com as gravações de “A Força do Querer”, próxima trama de Glória Perez às 21h, que marca sua volta às novelas após dois anos. Ela viverá Ritinha, uma paraense que trabalha como sereia animando festas e que gosta do fascínio que exerce sobre os homens, como as sereias. Ela acredita ser filha do boto cor-de-rosa, uma lenda da região amazônica, e começa a história com o caminhoneiro Zeca (Marco Pigossi), que é apaixonado por ela. Porém, o relacionamento sofrerá um abalo com a chegada do forasteiro Ruy (Fiuk), que se encantará pela sedutora personagem. Zeca partirá para o Rio de Janeiro e se envolverá com a policial Jeiza (Paolla Oliveira), que sonha em ser lutadora de MMA.

O conjunto da carreira de Isis Valverde a credencia a ser uma das melhores atrizes de sua geração, ao lado de nomes de muito talento como Mariana Ximenes, Alinne Moraes, Marjorie Estiano, Nathalia Dill, Fernanda Vasconcellos e Débora Falabella (que também estará em A Força do Querer). Uma carreira que começou discreta e logo ganhou força com personagens carismáticas e desafiadoras brilhantemente interpretadas. Isis Valverde merece todo o sucesso e que venha mais uma grande personagem na nova novela!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.