Pelo Telefone foi o primeiro a ser samba gravado?

Considerado o primeiro samba a ser gravado, a música ainda guarda muitos mistérios e polêmicas.

O samba é um gênero musical derivado das matrizes africanas e com forte influência da música europeia, surgido no Brasil entre o final do século IXI e o início do século XX. De origem negra, é considerada como a principal música popular do país, sendo eleita o grande patrimônio cultural brasileiro do século passado. Por se tratar de uma manifestação cultural popular, não há uma data precisa quanto ao seu surgimento. Tem como principais características a dança acompanhada de pequenos cantos harmônicos e ritmos marcados seja por instrumentos de batuque ou, até mesmo, pela palma de mão.

Apesar de ter suas raízes cravadas principalmente na cultura do Rio de Janeiro, foi na Bahia, na metade do século XIX, onde o ritmo surgiu e teve suas primeiras manifestações, através dos escravos trazidos de Angola e Moçambique que se agruparam em pequenas comunidades, surgindo, assim, os Recôncavos. Alguns anos depois, para se diferenciar do samba carioca, esse ritmo seria conhecido como o samba de roda dos recôncavos baianos, dando origem, também, à capoeira.

No Rio de Janeiro, as primeiras manifestações de samba ocorreram nas casas das tias baianas, como eram conhecidas, por terem vindo da Bahia e trazido consigo o ritmo musical. Dentre essas tias, destaca-se Hilária Batista de Almeida, mais conhecida como Tia Ciata. Nascida na Bahia e filha de escravos, Tia Ciata foi a principal organizadora das primeiras reuniões para se cantar e dançar o samba. Exímia cozinheira, era em sua casa, no bairro do Catumbi, onde ocorriam os encontros, pois na época a música, por pertencer às camadas mais baixas da sociedade, ainda era marginalizada e perseguida pela polícia, sendo, assim, proibida de ser tocada na rua.

Desses encontros na casa de Tia Ciata surgiram os primeiros sambistas como Sinhô, Donga e João da Baiana. Esse último chegou a ser preso por tocar pandeiro em praça pública. Foi no mesmo local, também, onde acredita-se que foi composto o primeiro samba, com autoria de Donga e Mauro de Almeida, chamado de Pelo Telefone, em 1916. O samba seria gravado no ano seguinte.

Aliás, essa primeira gravação foi muito contestada inclusive por sambistas da época e, anos mais tarde, por alguns historiadores, tanto em sua estrutura musical quanto em sua rotulação de ser o primeiro. Há quem diga que Donga jamais compôs esse samba e, sim, teve o privilégio de registrá-lo, assim como seu parceiro Mauro de Almeida que, por ser jornalista, tinha acesso facilitado às gravadoras.

Donga e Mauro de Almeida, autores do samba Pelo Telefone.

Polêmicas envolvendo o samba Pelo Telefone

Há, de fato, algumas polêmicas envolvendo Pelo Telefone, ao longo da história. Além do questionamento sobre sua autoria, o seu ritmo maxixado, muito idêntico às orquestras portuguesas da época, foi o principal caso a ser debatido durante muitos anos por parte de pesquisadores. Alguns chegaram a afirmar que, mesmo o samba tendo sido gravado em 1916 — que daí seria o motivo para celebrarmos 100 anos do ritmo — há outras gravações anteriores a essa data que comprovam que o mesmo não foi o primeiro.

O jornalista e historiador José Ramos Tinhorão conviveu com muitos sambistas ao longo dos seus mais de 40 anos dedicados à música brasileira, e afirma comprovadamente que Pelo Telefone não foi o primeiro samba. — Durante anos disseram que o samba feito por Donga e Mauro de Almeida foi o primeiro pelo fato de aparecer a palavra samba no rótulo do disco de 78 rotações. Se o caso for esse, então está mais do que provado que Pelo Telefone não é pioneiro, pois “Cabocla de Caxangá” e “A viola está magoada” foram registradas em 1913 e ambas levam a palavra samba em seu selo.

Divulgação na época dos versos e música Cabocla de Caxangá, composta por Catullo da Paixão Cearense

Ainda assim, afirma Tinhorão, em uma pesquisa mais profunda, vai se descobrir que a palavra samba apareceu pela primeira vez na rotulação de um disco em 1909, na música “Um samba na Penha”, gravado nas Casa Edison e interpretado por Pepa Delgado, cantora do início do século XX.

- Provavelmente, Pelo Telefone tenha ganhou o título de primeiro samba gravado, talvez, pelo fato do grande alcance musical que atingiu na época, gerando grande sucesso. Esse fato é o que melhor se encaixa, afirma Tinhorão.

Afinal, como se define o que é samba e o que não é?

No final dos anos 20, no estado do Rio de Janeiro, surgiu uma grande parcela de compositores populares. Um dos destacáveis da época, sem dúvida alguma, foi Ismael Silva. Nascido e criado no bairro do Estácio, Ismael foi fundador da primeira escola de samba, a Deixa Falar, e considerado o principal organizador da estrutura rítmica do samba, como ele é tocado até os dias atuais.

O sambista, inclusive, foi o principal questionador quanto ao à estrutura da composição de Pelo Telefone. Ismael chegou a dizer que “não era samba e, sim, maxixe, pois como é que as pessoas sairiam na rua cantando e sambando um ritmo que não caminha? ”. Ismael afirmaria, ainda, que ele e “sua turma do Estácio” eram os verdadeiros criadores do samba como ritmo brasileiro.

Marília Trindade Barboza, professora de história e autora de inúmeras biografias dos grandes compositores de samba faz uma análise bem interessante nas afirmações de Ismael.

- Essas polêmicas foram o que sempre alimentou e muito bem o samba, principalmente no início do século passado. Sinhô, por exemplo, tocava piano e era acompanhado por orquestras e sua música só tocava em salão, para boa parte da elite carioca. Eu entendo quando o Ismael afirma que ele foi o criador, porque, se pegarmos o ritmo inicial e comparar com a fase do surgimento da escola de samba Deixa Falar, veremos que partindo desse ponto ouve uma transformação padrão, inclusive nas próprias gravações, onde ficou claro como era feito e tocado um samba.

Dentre os instrumentos que caracterizam o samba, na sua primeira formação, está o cavaquinho e o violão formando a harmonia, onde muitos, até então, utilizavam o piano; o pandeiro foi inserido no meio musical alguns anos depois, na virada do século XIX para o XX, através do sambista João da Baiana; mais tarde, o surdo e o tamborim, que formam a percussão, surgiram na Deixa Falar, através de seus compositores, dando ritmo à marcação do canto.

Foi no bairro do Estácio de Sá, no início dos anos 20, onde esses instrumentos foram padronizados para se denominar o que era samba. Através do surgimento da Deixa Falar, foi que o ritmo ganhou um formato tradicional que passaria a ser conhecido como o samba urbano carioca, que dominaria os bairros e as favelas da cidade do Rio de Janeiro.

Questões como essas, sobre o que é samba é o que não é, sempre foram um prato cheio para pesquisadores e historiadores e causaram dor de cabeça em muitos artistas.

Nos anos 50, com o aparecimento do rock no Brasil, outro ritmo ganharia grande força no país, a Bossa Nova. Nascida na zona sul do Rio de Janeiro, como nos bairros de Leblon e Ipanema, a música teria como marco principal a forma de cantar, em tom baixo, seu compasso 2/4 e pertencente à classe-média-alta do Rio.

Dentre seus principais divulgadores estão João Gilberto, Nara Leão, Vinícius de Moraes e Tom Jobim. Os dois últimos são considerados até hoje os principais nomes da música, sendo o primeiro como letrista e, o segundo, como arranjador. O ritmo seria muito aplaudido pela crítica, inclusive fora do país, e criticado por outros.

Tom Jobim e Vinícius de Moraes, dois grandes nomes da música brasileira e considerados os criadores da Bossa Nova

Dentre os principais críticos, Tinhorão foi o mais notável de todos, se não o único que teve coragem de “bater de frente com aquela turma”, como ele afirma até hoje. O jornalista nunca escondeu o seu desgosto pela bossa nova, chegando a afirmar que Tom Jobim era um compositor frustrado, pois não sabia fazer nada de música brasileira, e que João Gilberto era um bom malandro e nada mais do que isso.

Um dos principais questionamentos, segundo Tinhorão, está na estrutura rítmica que a bossa nova possui.

- O João Gilberto ainda criou algo de novo, como esse ritmo de tocar 2/4 e cantar em tom menor; agora, o Tom Jobim, esse era frustrado. Ele achava que fazia música brasileira, mas o que ele estava fazendo era pura cópia do jazz norte-americano, ele estava tocando jazz só que com letra em português, tanto é que o Frank Sinatra o gravou. Eu sempre questione o porquê do Sinatra gravar Tom e não gravar, por exemplo, Nelson Cavaquinho ou Cartola.

É sob essa análise que o jornalista carioca Wagner de Almeida defende de que Pelo Telefone é samba, mesmo tendo sua estrutura rítmica mais próxima da música europeia.

- O samba naquele tempo ainda estava preso ao maxixe, mas avaliemos as gravações seguintes que Pelo Telefone recebeu e veremos que quando foi inserido a percussão ficou ritmado como qualquer outro samba tradicional. A diferença do samba daquele tempo para a época da bossa nova é que os compositores eram, em sua maioria, vindos da classe marginalizada da sociedade, diferente de artistas como Tom Jobim ou Vinícius de Moraes.

Para definir o que é samba, muitos artistas, ao longo dos anos, sempre afirmaram que o segredo estava em sua síncope, em sua estrutura melódica e na linguagem. Tanto é que, com o passar dos anos, o samba foi ganhando novos formatos e, também, outros ritmos foram surgindo, como o samba-rock, samba-de-breque, samba-canção e samba sincopado. Assim surgiu o samba Pelo Telefone, com verdades e mitos para serem contados e que ainda renderão longas páginas na história da música popular brasileira. Independentemente de ter sido o pioneiro ou não, o que importa é legado que o registro de Donga e Mauro de Almeida deixaram para a história cultural do nosso país.

\\Go���O�euZ

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Thiago Nascimento’s story.