Quando Voltei Pra Terra.

Quando estávamos em orbita passando pela Índia, Marrom me acordou pedindo para que eu checasse minha mochila. Eram umas 3:00 da manhã no horário de brasília, e sinceramente posso dizer que não gostei do modo que fui acordado. Sigo uma regra que sigo a vida inteira, só acordar alguém caso seja algo urgente, e se a ultima opção for necessariamente acordá-la.
Já são 3:20 e já estou conseguindo ver a Oceania inteira na minha frente. E quando vejo a Oceania lembro da única gincana que venci e de uma liberação de nacionalidade na Austrália que alguém me disse.

Estou em uma nave espacial chamada Via-láctea99. Sou o oficialmente o único tripulante do planeta “Terra” do nosso sistema solar, só que não oficialmente nessa nova existem mais dois, uma barata que veio quando me “abduziram”(tentamos matar ela umas 5,6 vezes mas agora ela é uma de nós) e um urso polar chamado Levi (que salvou nossas vida em um desentendimento com os mercurianos que não são de Mércurio)

São 3:34 h e preciso me preparar para descer, Levi decidiu ficar prometendo tomar conta do meu alojamento enquanto não volto.

Vocês não fazem ideia de como é passar 4 anos em um lugar onde as únicas coisas vivas que você reconhece naturalmente, são uma barata, um urso polar, e um alienígena que tem cabeça de cachorro. Cara, a gente aprende cada idioma, cada forma de linguagem, que esqueci novamente como se escreve português.

Vocês sabia que dá pra ver a aurora boreal do espaço? E que a America do Sul é verde que só a “mulesta” lá de cima? Pois é. É assim mesmo.

Bem agora é hora de descer, aterrizaremos em pipa e finalmente poderei tomar café, e comer algumas coisa orgânica. Queria poder levar os troncos da “árvore de Ymir” que tem gosto de polvo frito, mas eles apodrece rápido demais por conta da umidade da terra.

Fazem 4 anos espaciais que não vejo minha casa, e isso é engraçado… Quando estava em Vigka eu tinha como casa a 99, quando estava na via láctea eu conseguia ver a Terra ela como casa. Agora dentro dá 99, na orbita da terra, do lado de Levi meu melhor amigo terreno do espaço, fico esperando a America do Sul aparecer, pra olhar pro nordeste e ver se acho a paraíba, fico imaginando se alguém pensa em mim, como tão meus bichos, as pessoas que deixei. Passei 4 anos longe de tudo isso, e é arrepiante voltar pra casa. Na realidade foram 4 meses, só que o tempo na 99 é diferente do espaço, e da terra, Einstein chama isso de Relatividade, e no espaço ela funciona com a luz, tempo de forma tridimensional. Resumindo, passei 4 meses na terra, 10 anos em uma planeta chamado Sippur, 31 anos em outro chamado Libbar, fora as vezes que retrocedi no tempo, e avancei, graças aos cálculos da minha autarquia Almirante Marrom (Mike Alfa Romeu Romeu Oscar Mike) e sua Rainha Jade(Juliety Alfa Delta Eco).

“Tripulante Cap. Tango Hotel Índia Golf Oscar 2Bravo, favor entrar na sala de pressurização. Tripulante, Cap. Tango Hotel Índia Golf Oscar 2Bravo, favor guardar o chocolate na mochila! Tripulante, Cap. Tango Hotel Índia Golf Oscar 2Bravo, favor sem gestos feios para câmera de segurança. Ei!!! Não toque nisso! Se vista logo homi! você já vai descer… FDP!”

99 entrando na atmosfera da terra, destino Bravo Romeo, November Romeu, November Alfa Tango Alfa Lima.”

“aeronave 99 pousando na estação”

“Tripulante: Cap. Tango Hotel Índia Golf Oscar 2Bravo, saindo da nave.”

“Sentiremos Saudades Senhor, bom descanso. Ei?! Pra que isso?! Precisa estirar dedo não!”

— Oi…
 — Ei!
 — Temos um tripulante novo, na 99 agora. — Sério?! — Humhum.

— É gatinho?!— Não, é um urso polar.

— Puts, e como foi isso? — Foi um problema com os mercurianos! — Eita!

— Sim… — Oi? — Ele tá no nosso/teu quarto. — Eu vou dormir com um urso polar na minha cabine de alojamento?! — Sim, ele é muito gente boa, e sem formalidades. — É um urso né meu amigo, urso tem formalidade? — O nome dele é Levi. — Por conta de “guerra e paz”? — É.

— Tá bom, tá bom! Sim… — Oi?

— Tem maconha na geladeira, tua carona é as 7h de amanhã, não de hoje.Tem uma surpresas boas pra você em Jampa. Vou sentir saudade. —Eu ainda estou com saudade. — Besta. 
—Ei… — Diz… — Tem uma barata na nave. — Eca, odeio barata! — Eu sei. — Ela é da tripulação também? — Não. Pode matar. — Ok, vou pedir pra Marrom fazer isso. — Sim… — Oi? — Tem Ymir na geladeira, e não beba o café, foi o Modi que fez. — Vlw. — Boa viagem.

— Não tenha ciúmes de Tofu. — Como assim? — Uma hora você vai entender. Beijos. — Boa aventura Ki, aproveita! — :)

“Tripulante: Cap. Mike Oscar November (Charlie Hotel Índia)2x 1K entrando na nave.”

Assim que a 99 se foi, eu finalmente pude abrir meu chocolate. O frio e o vento do Chapadão me fez encher os pulmões ar. Amanhã, não hoje. Voltarei pra minha casa. A verdade que estou em casa. Qualquer lugar onde me sinta bem, posso chamar de lar.

Preciso de um cerveja.

Like what you read? Give Eca, Thiago! a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.