Amor, será que é necessário ?

O que seria de nós sem o amor? Por recebê-lo desde o ventre de nossas mães não pensamos nele como deveria ser pensado, com toda sua importancia, toda sua intensidade. Muitas vezes achamos que é normal receber amor, coisa do cotidiano humano. Deveria ser.

Muitos não tiveram essa sorte, não sabem o que é ser amado e por isso agem de maneira adversa e acabam se tornando bandidos ou criminosos. E realmente são, porque, tudo bem, nada é motivo para matar alguém ou roubar uma loja por mais simples que seja, porque alguém batalhou pra ela estar ali, essa lojinha coloca comida na mesa de uma família. Mas mandar para a cadeia para ser torturado não vai resolver nada. Pense um pouco! A pessoa já foi maltratado a vida inteira e por isso se transformou no que é. Maltratar mais um pouco não faria diferença nenhuma, ele só acumularia mais e mais ódio pois é o único sentimento que conhece. Será que um pouquinho de amor não adiantaria? Pra quem sempre teve é fácil. A vida inteira soube o que é certo e o que é errado, tem compaixão pelas pessoas, tem amor a própria vida.

Esse tipo de pessoa pode ter sido abandonado por sua mãe, maltratado diariamente por seu pai. Como será que uma pessoa assim se sente? Será que ela sabe o que é o amor? Muitas vezes tiveram uma infância sem os devidos carinhos dessa fase tão carente. E então tentam preencher esse vazio com outras coisas que geralmente são drogas e a criminalidade em geral.

Investigar a vida dos “criminosos” antes de julgá-los seria uma ótima opção. E somente depois dar a sentença de acordo com todas as informações. Quem sabe um bom psicólogo não consiga mudar a sua mente? Como diz o ditado popular: “nós damos o que recebemos”. Se uma pessoa recebeu ódio a vida inteira, como vai transmitir outra coisa que não seja ódio ? Talvez desse jeito consiguiríamos diminuir a criminalidade no país e quem sabe no mundo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.