À mercê do Inverno

Com a descida acentuada das temperaturas nos Balcãs, os refugiados e migrantes enfrentam as duras consequências

Em Janeiro de 2017, sem sinais de abrandamento da vaga de frio extremo e de tempestades que se têm feito sentir em várias partes da Europa, muitas crianças refugiadas e migrantes correm risco de infecções respiratórias e outras doenças graves — e mesmo de morte por hipotermia. A UNICEF está a trabalhar na Croácia, na Sérvia, na Eslovénia e na Antiga República Jugoslava da Macedónia para minorar as consequências do Inverno e ajudar a manter as mulheres e as crianças protegidas do frio.


© UNICEF/UN049070/Georgiev

O centro para refugiados e migrantes de Tabanovce, na Antiga República Jugoslava da Macedónia, acolhe actualmente cerca de 100 pessoas, um terço das quais são crianças. 
 A enfermeira Slagjana Perchinkovska transporta ao colo o pequeno Iliyas envolto num cobertor até ao abrigo onde a família vive actualmente, seguida, por Shirim, a sua mãe.

— 
Saiba mais sobre o que Inverno representa para as crianças refugiadas e migrantes nos Balcãs e o que a UNICEF está a fazer: Clique aqui
© UNICEF/UN049074/Georgiev

Shirim, mãe de cinco filhos, foi obrigada a fugir do conflito na Síria, tal como milhares de famílias vêm fazendo há anos. Shirim e os filhos vivem há cerca de 10 meses num abrigo pré-fabricado.

© UNICEF/UN049080/Georgiev

Com pouca gordura corporal para os proteger do frio, os bebés recém-nascidos e as crianças pequenas são mais susceptíveis de contrair infecções virais e bacterianas.
 Iliyas, de apenas cinco dias, é examinado pela enfermeira Perchinkovska num canto especialmente reservado a mães e bebés no espaço amigo das crianças apoiado pela UNICEF.

© UNICEF/UN049081/Georgiev

Shirin usa o canto para mães e bebés do espaço amigo das crianças para amamentar Iliyas e para poder descansar e se proteger do frio. Shirim foi acompanhada durante a gravidez por uma equipa de enfermeiros que diariamente presta serviço no campo.

© UNICEF/UN049069/Georgiev

“O facto de estarmos aqui, permite-nos em certa medida partilhar a experiência traumática de muitas destas pessoas que fugiram da guerra. Mas Poder partilhar momentos felizes como estes deixa-nos muito satisfeitos,” diz a enfermeira Perchinkovska durante o primeiro banho do pequeno Iliyas, a que a sua irmã Solin, de 7 anos, assiste.

© UNICEF/UN049054/Georgiev

Solin (à esquerda) e as amigas, também elas da Síria, comem uma sopa quente junto ao abrigo onde vivem. 
 Porque muitos dos abrigos não estão devidamente equipados para o Inverno, as crianças que se encontram retidas correm riscos acrescidos devido ao frio extremo e ao aumento de surtos de infecções.

© UNICEF/UN049072/Georgiev

O apoio da UNICEF especificamente para a protecção contra as condições do Inverno na Croácia, Sérvia, Eslovénia e na Antiga República Jugoslava da Macedónia estão a ajudar as mulheres e crianças a manterem-se aquecidas.
 Omar, filho de Shirin de 14 anos, diverte-se a brincar na neve com os amigos.