Por uma infância plena para meninos e meninas!

Infância alegre e plena é aquela cheia de aventuras, descobertas e oportunidades de aprendizado, certo? E por que, infelizmente, estas características parecem pertencer somente à infância do menino, enquanto a menina tem sua fase muitas vezes reprimida e limitada apenas por ser menina?

Isso é o que acontece quando pautamos a educação de meninos e meninas em estereótipos de gênero: o menino é o herói, corajoso e inteligente, já a menina é a princesa delicada e meiga.

Encerramos a segunda semana da campanha Coisa de Criança, uma campanha online promovida pela UPWIT que tem como propósito repensar a forma como educamos nossas crianças. Ou seja, queremos que meninos e meninas tenham as mesmas OPORTUNIDADES. E para isso, pedimos ajuda para pessoas incríveis que, por meio de seus depoimentos, nos contaram como estão fazendo diferente na busca por uma sociedade mais igualitária.

A Marianne Costa nos contou que sua filha, mesmo nova, já sabe que pode ser o que quiser: “Aos 4 anos, Maria Luiza decidiu ser astronauta e, por enquanto, segue com esse sonho! Mas se amanhã mudar, quiser ser engenheira ou confeiteira, tudo bem também. Pois já sabe que o importante é que seja feliz!”

O casal Henrique e Florentine explicam como estão educando a pequena Emilia: “Não falamos de cores específicas para meninos ou meninas; nunca falamos que ela não pode fazer algo porque é menina. Estimulamos ela em tudo que deseja experimentar; ela pode ficar suja, tanto quanto meninos, nada é mais perigoso para ela por ser menina. Não precisa colocar vestido ou saia se não quiser e nunca estimulamos ela a estar ‘bonitinha’.”

Já a Maria Rita nos disse o quanto é importante educar os filhos de uma forma diferente da atual: “Criar para igualdade permite que não seja ele o gestor do futuro a subestimar uma mulher, permite que ele não tenha uma vida limitada por coisas de homens e coisas de mulheres, dá a ele opções, e que a escolha destas opções não seja dolorida. Faz com que ele e quem conviverá com o cara que ele será construam e vivam em uma sociedade um pouquinho mais igualitária.”

A Carol Patrocinio, que foi nosso exemplo no Dia das Crianças, deixou um recado lindo: “Educar mostrando a eles que apesar das diferenças — seja de gênero, raça, classe social ou em qualquer outro âmbito — tem algo muito maior que nos liga e que nos torna únicos é um caminho bastante especial para uma sociedade mais justa. O que nos liga é a humanidade e o respeito. Se a gente basear toda a educação das crianças que nos rodeiam em entender e respeitar as necessidades e caminhos únicos de cada um teremos, no futuro, pessoas muito melhores do que os melhores de nós.”

O casal Denis Russo e Joana Amador, que tem uma menina de 4 anos e um menino de 1, afirmam que é a liberdade que deve reger a infância: “Tantos adultos tentam cercear crianças, limitá-las. Os papeis tradicionais de gênero, por exemplo, são tentativas de reprimir: determinar coisas que podem e coisas que não podem. O que nós procuramos fazer é tirar essas limitações do caminho deles e deixar que eles expressem quaisquer pulsões que apareçam.”

Já a Priscyla Laham falou sobre a necessidade de educar os meninos sem os estereótipos de gênero: “os homens também podem tudo, inclusive participar mais da vida dos filhos e estarem mais presentes no lar. Eles não precisam ser sempre os provedores da casa; isso também gera bastante pressão e estresse desnecessário.”

E a Neon Cunha, deixa um recado inspirador: “A verdade de criança é a de que tudo é possível até a gente se perder em ser adulta. Continuem permitindo que crianças se encantem com todas as possibilidades de voar, de serem infinitas, de serem quem são. Felicidade é descobrir-se.”

Então permitam que as crianças se descubram!

— — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — —

A Campanha Coisa de Criança é uma campanha online que tem como propósito repensar a educação das crianças e adolescentes, de forma a oferecer oportunidades e aprendizados igualitários para todas as pessoas. Acompanhe os depoimentos nas nossas redes sociais:

Facebook | Instagram | Twitter

Like what you read? Give UPWIT a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.