O que você vai ser quando crescer?


Essa frase que provoca risos enquanto somos crianças, vai ganhando cada vez mais “seriedade” à medida que nos aproximamos do vestibular.

Respostas como “quero ser princesa”, “quero ser o hulk” ou “sorveteiro, para tomar sorvete todos os dias” passam a não ser mais uma opção. E claro que, exageros a parte, isso acontece porque passamos a refletir sobre uma infinidade de aspectos que antes desconsiderávamos.

E como se isso já não bastasse, existe, nesse momento de nossa vida, uma pequena coisinha que às vezes não nos damos conta: nós não conhecemos o mundo! Sim, sim, parece estranho, parece errado, pode parecer até mentira… Mas perceba, quem sabe aos 18 anos quais são as possibilidades de atuação, de profissão e carreira de cada um dos 550 cursos universitários que existem por aí hoje?

São muitas opções e muitas perguntas, sem dúvida. E a verdade é que a grande maioria acaba decidindo com base em achismos do tipo: “não vou ser piloto de avião, não quero meu ouvido entupindo a cada voo”, ou “não vou fazer design, eu nem sei desenhar tão bem”, ou ainda “gosto de química, vou fazer engenharia química”…

E seguimos assim, criando coisas em nossas cabeças por falta de informação, muitas vezes, para justificar uma decisão. E claro, acreditando em coisas que nos dizem por aí. Coisas que não passam de senso comum ou estereótipos (como os das frases acima…)

E é por isso que nasceu o UP: para te apresentar ao universo de possibilidades que temos nesse mundão afora. Para expandir consciências, pensamentos e saberes. E para trocarmos conhecimentos que nos ajude nessa hora tão difícil de decisão de curso de graduação/carreira.

Bem vindos à rede!


Monique Lemos
Empreendedora e Co-fundadora UP