Partida

Observei que tenho mudado um pouco a forma como venho escrevendo, peço-lhes desculpas.

Talvez eu tenha mudado um pouco e isso tenha ajudado de certa forma a interferir eles.

Mas agora, neste texto, quero expor toda minha “aflição” e dizer que eu já não quero mais isso.

Melhor, não preciso querer ou viver isso. Não me sinto a vontade disputando a atenção de ninguém.

Calma, estou os confundindo um pouco, mas logo irei chegar no ponto em qual quero.

Venho me observando faz umas semanas e observando também o comportamento de outras pessoas. — Duas delas, para ser mais clara.

E acabo que me vejo em uma posição cujo não tenho interesse em permanecer. E a partir daí, crio o meu próprio ditado cliche: Antes só que atrapalhando a vida alheia.

Então, começo a colocá-lo em prática no momento em que vejo estar atrapalhando algo que é maior que eu. E que não tenho como torcer ou competir contra. — Não quero, não tenho vontade e tampouco preciso.

Talvez o que eu esteja fazendo não passe de uma mera forma de covardia ou uma maneira de mais uma vez usar algo para criar um escudo que me proteja da dor futura. Talvez, esteja usando mais uma desculpa para fugir de viver e terminar me isolando do mundo. Don’t care.

Entretanto, apenas hoje foi que descobri que minha ausência será bem-vinda na vida dessas duas pessoas. Talvez não para uma delas no começo, mas depois ela verá que foi sim bem-vinda e não demorará em acostumar-se com a situação.

Quanto a outra, muito provável que dê pulos de alegria e que se pudesse, soltaria fogos de artifício. — Talvez os solte em seu interior.

Pareceu tosco esse último comentário, e não. Não é ciúmes. Uma coisa que venho aprendendo diariamente é observando os gestos e comportamento dos indivíduos e posso dizer com convicção que sim, talvez ela a comemore de tal maneira.

Tenho percebido, no final das contas, que sou o fim mal acabado de alguém e a pedrinha no sapato de quem realmente quer e tem grande chance de ter um final — não digo feliz, isso não é um conto de fadas. Um final bem acabado.

Talvez, uma delas ainda não tenha percebi isso e eu só agora o tenha feito.

Portanto, desta forma, retiro-me do sapatinho dela e deixo-a livre de incômodo para viver o início, meio e final bem concluído com aquela moça.


I hope I do not fall in love again.