Dates #2

Demorei um pouco pra falar desse pq não sabia se falava ou não… Mas decidi que sim.

O #2 foi um tempo depois do #1… Conversavamos no twitter, depois ele me encontrou no Growlr e fomos conversando até decidirmos sair pra nos conhecer. 
Fomos ao cinema, os dois super tímidos, eu não sabia se ele tava afim, ele não sabia se eu tava afim… Vimos o filme, fomos cada um pra sua casa e fim. Não ficamos, não nos beijamos e nada.

Anos se passaram depois desse encontro, a gente voltou a se falar, mas agora ele já namorava. Viramos amigos, pois era um relacionamento fechado e eu não ia querer encrenca.

Continuamos com a amizade, ele ficou desempregado, então a gente se via quase toda semana. Porém uma coisa que era meio sem lógica era ele esconder isso do namorado (não sei se foi por ciúme dele ou se era outra coisa). Até que um dia eles brigaram e ele pediu pra eu ir lá conversar com ele, dar uma força etc. Fui. Lá na casa dele a gente tomou umas cervejas e depois eu fui embora, no caminho pra casa ele me mandou uma mensagem dizendo que quase me agarrou e que ficou sem graça porque não sabia se eu iria achar ruim. Disse que não tinha problema, mas ele tava namorando, se ele se resolvesse e não desse problema pra ele tava ok.

O #2 reclamava muito do namorado pra mim, dizia que iria terminar mas nunca se resolvia. Na verdade o que ele queria (eu acho) que era só uma transa.

O #2 viajou e quando voltou o namorado começou a mandar mensagem pra mim dizendo que ele tinha o traído na viagem e qual era a última vez que nós tinhamos nos visto. Eu contei que foi quando ele veio na minha casa ver filme. Ele não tinha contado pro namorado.

Não sei o que eles resolveram entre eles, e realmente não me interessa, mas rolou um stress porque resolveram que a culpa do problema deles era eu.

Me excluiram das redes (o #2 não, me excluiu do facebook mas deu aquele “seguir”). Fui chamado de cuzão, falso e o caralho a quatro.

Deveria ter transado com ele, aí sim teria motivo pra isso.

Era óbvio que ele com um relacionamento fechado eu não iria deixar acontecer nada. Sou daquela vibe de “não faça com os outros o que não gostaria que fizessem com você”. Não nos falamos mais, não sei se ele namora ainda, se ta solteiro, se ta vivo ou morto. Às vezes penso em chamar ele pra conversar, mas acredito que não vale a pena.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.