Sobre o Cheiro de Merda

Ontem, na volta pra casa, eu pisei em um um pedaço de cocô e não vi. Cheguei em casa, tirei meus sapatos e fui deitar. Hoje mais cedo, quando eu estava me arrumando para ir ao cinema, senti um odor desagradável e me indaguei: “puta que pariu, de onde será que tá vindo esse cheiro de merda?”.

Comecei procurando pelo guarda-roupas, olhei em baixo da cama, vi se não tinha dado descarga no banheiro e só algum tempo depois eu fui ver que a Merda estava no meu tênis — com uma sola que parece um pneu de caminhão, remover aquela provável cagada canina do meu tênis seria uma tarefe árdua. “Que bosta! Tirar isso aqui vai dar um trampo do cacete” — eu pensei. Mas algo deveria ser feito, eu não poderia andar por aí com esse fedor horrível me incomodando.

Acendi um incenso pra ver se o cheiro saía do meu quarto e com uma má vontade de quinta categoria eu fui lá limpar a merda. Joguei água, usei um esfregão bem mais ou menos e não conseguia tirar a dita cuja. Achei uma faca velha que estava jogada por lá e obtive algum sucesso em tirar o acúmulo que tinha nas ranhuras do meu calçado. Tudo ok, a Merda já tá mais ou menos fora da bota, bota no pé e pé na rua.

Mais tarde no mesmo dia, cheguei em casa, coloquei algo pra assistir no computador enquanto comia umas fatias de pizza que estavam na geladeira, cruzei minhas pernas e senti — de novo — um puta cheiro de merda. Agora que meu calçado estava mais próximo do meu rosto eu pude sentir de novo aquele futum desagradável: entre os vãos da bota e todas aquelas escovadas mal dadas ainda tinha Merda. E fedia.

Olhando aqui no chão meu pé de tênis sujo com merda, eu tive uma introspecção e comecei a me perguntar: “será que devo ir lá limpar a Merda sendo que eu já tentei limpá-la e nada adiantou? Ainda tem merda ali, mas conforme o tempo for passando essa merda vai sair, certo?”. Sem ver na hora, eu pisei na Merda e ela grudou no meu tênis como chiclete. Senti o cheiro dela, achei em qual lugar ela estava, e fui lá — com uma puta má vontade — limpar a Merda. Mas, infelizmente, ainda tem Merda no meu tênis. Porque eu senti o cheiro dela, vi ela. Eu sei que ainda tem, não tá tudo limpo.

Eu ainda não resolvi a situação do jeito que eu queria — aquela Merda ainda tá ali. Eu tive má vontade pra tentar resolver algo rapidamente e me fodi: se eu tivesse tido um pouco mais de atenção, não precisaria limpar bosta de tênis em plena meia noite e finalmente tirar esse incômodo cheiro de Merda daqui.

E vocês? Quantas situações da suas vidas vocês têm de resolver mas deixam de lado? Quantos “tênis sujos de Merda” vocês também têm que limpar?