Ano Passado Eu Morri, E Nesse Ano, Vou Tentar Não Fazer Igual Ao Outro.

Queria ficar igual a canção do Belchior e poder dizer que não vou “morrer” esse ano, mas sei que não é como se eu pudesse adiar, toda hora mato uma versão mais antiga de mim pra trazer uma nova, como uma majestosa fênix, ou uma simples cigarra, cigarra que por sinal me lembra de cigarros, ah os cigarros.

E eu não quero é ficar morrendo pouco a pouco toda semana, igual eu tô vivendo, onde do nada vou vivendo bem, e então esqueço que tenho que ficar vivo e passo a morrer.

Eu quero conhecer cada uma dessas versões melhores de mim, enquanto me deito no sofá e assisto programas de decoração, meu time vai perdendo, mas já criei casca com isso, os sábados nem são mais tão felizes depois que não posso mais sair alegre da aula, mas ninguém vai ficar sempre feliz, as vezes eu fico triste, e feliz de novo.

Gosto de acreditar que a tristeza é apenas um tempo pra te preparar pra felicidade que vêm.

Quero acreditar que esse ano eu morro também, mas sem precisar morrer 4 vezes por semana, sem precisar pensar tanto num maldito cigarro, e morrer só uma vez, por ano, e dessa vez vou tentar manter o meu plano.