Um dia. Qualquer hora. Um momento.

Ainda não sei a razão de eu ter feito aquilo, de eu ter estado lá. Não era pra isso ter ocorrido, nunca foi o planejado…

Desculpe-me por nunca ter corrido atrás de você e impedido tal ocorrido.
Desculpe-me por nunca ter prestado solidariedade para você.
Desculpe-me por nunca ter honrado com o meu ser, com sua pessoa.
Desculpe-me por nunca ter lhe pedido as devidas desculpas.

Era imaturo, irresponsável e se quer estava esperando por aquilo. Nunca me dei conta realmente do que fiz, pelo contrário, nunca quis assumir uma carga de culpa maior do que eu poderia carregar.

Desculpe-me por não ter conversado contigo após.
Desculpe-me por não ter assumido parte da responsabilidade.
Desculpe-me por não ter olhado sua cara nunca mais.
Desculpe-me por não ter lhe pedido desculpas até então.

Não digo que minhas desculpas seriam as mais sinceras na devida época, provavelmente não seriam. Eu só queria ter uma nova oportunidade pra lamentar-me, sem medo, dependendo unicamente de vocês o perdão parcial ou total. Talvez eu tenha sequelas até hoje dos fatos. Talvez eu nunca tenha as superado.

Desculpem-me.

Um dia, quem sabe, não terei audácia o suficiente para lamentar-me da maneira que vocês sempre mereceram.

- i’m latching onto you Vitor C,

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.