Portas

Encontro-me parado, vejo uma entrada, discreta, quase estreita o suficiente para não permitir minha passagem, ela me encanta, caminho, passos lentos até chegar a ela.. Ao chegar percebo que não consigo ver o que há dentro dela, é tudo escuro, sinto uma dualidade nascer em mim, medo e excitação? Não sei se é ao certo esses dois sentimentos mas tenho a certeza que se confrontam. Resolvo entrar por essa porta sem medo da cegueira que está por vir, na tentativa de procurar algum sinal de luz esbarro em algo, ao tatear aquela forma estranha, ou não tão estranha assim, o medo que estava em mim se esvai, sou transbordado de excitação por descobrir essa forma naquela escuridão, por um tempo me sinto totalmente seguro.. Até acenderem as luzes… A forma sou eu, tocando em outras formas, buscando outras entradas, portas, a excitação se vai.

Like what you read? Give Frank a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.