-ser-

A sensação de não fazer parte desse mundo é comum a você? Se sim, prazer, estamos juntos nessa. Por quantas vezes você já não se sentiu como se nunca fosse se encaixar aos padrões e aos anseios que a sociedade tem para com você, aquele momento em que você realmente se pergunta qual o verdadeiro motivo de estar fazendo aquilo, de agir de tal forma, de se vestir assim, de querer ser um motivo de orgulho para as pessoas. Seria o maior desafio da vida ter medo de não agradar aos outros? Pare e pense por apenas um minuto, quantas vezes você se deixou levar por opiniões — que não eram de seu agrado — ? Quantas vezes você aceitou um convite de algo que não queria só pelo simples fato de não ser desgostoso com a pessoa que o convidava? Essa é toda a questão da coisa, nós somos totalmente levados por uma cultura do bom vizinho, perdemos toda nossa autenticidade, todo nosso dever conosco de sermos realmente quem somos, é a velha história do ser e parecer, nós deixamos realmente de ser, somos o parecer, o reflexo do que toda uma sociedade sistematizada quer. Termino aqui com aquele velho clichê: 
 “A nossa vida não é mais nossa”.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.