É o poder religioso da terra que sofre em nós uma crise definitiva: a da sua própria descoberta. Começamos a perceber, e para sempre, que para o homem a única religião aceitável é a que antes de mais o ensinará a reconhecer, amar e servir apaixonadamente o Universo de que ele é o elemento mais importante. Ele achava que a evolução não se confunde com o transformismo, mas que ela é integral e ascendente, aumentando a densidade psíquica do nosso planeta, preparando-o para tomar contacto com as inteligências dos outros mundos, para se aproximar da própria alma do cosmos. (‘O despertar dos mágicos’ Louis Pauwels, Jacques Bergier)

Like what you read? Give DireitosIndígenas a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.