Trabalhar, pagar contas e não sofrer no fim da vida…

A maioria de nós, desde criança, somos instruídos a estudar, tirar boas notas, fazer cursos, faculdade, especializações, arrumar um bom emprego. Conforme a vida corre, compramos nosso carro, casamos, financiamos nosso apartamento, vendemos o carro e financiamos um melhor. Os filhos chegam e queremos pagar boas escolas, logo precisamos de um aumento, uma promoção. Assim, nos empenhamos mais, trabalhamos durante o dia e fazemos um MBA à noite ou começamos a vender hinode ou similares para complementar a renda. Os filhos crescem, a vida passa e no fim da vida sofremos com uma aposentadoria miséria, que mal dá pra pagar os remédios para aliviar os problemas adquiridos na vida, frutos de tando estresse e sacrifícios. Isso, quando a situação não fica pior e lá pelos 50 anos você perde o emprego e está ‘velho demais’ para conseguir recolocação no mercado de trabalho e ‘jovem demais’ para se aposentar.

O fato é que a maioria dos brasileiros não se prepara para uma boa velhice. Só pensamos no agora: No carro bom, na viagem legal, na casa bonita, grande e bem mobiliada. Arrisco a dizer que a maioria das pessoas que passa por isso não tem educação financeira. Não receberam de seus pais e nem correram atrás de aprender durante a vida. Não investiram, não pouparam, não se preocuparam.

Como fazer então para não sofrer desta forma lá na frente?

Veja! Não há problema em estudar e arrumar um bom emprego. Comprar carros, um apartamento ou casa, colocar filhos em boas escolas. Tudo isso é ótimo. O problema é o quanto isso custará. Muitos de nós pagam muito mais do que precisaria, simplesmente por não querer aguardar um pouco e comprar à vista, por exemplo.

É importante que você pense no futuro. E se planeje para viver bem durante toda a sua vida. Mesmo que ganhe pouco é importante investir, é importante ter um fundo de emergência e também é importante criar uma carteira de ativos geradores de renda.

No livro “Pai Rico, Pai Pobre” de Robert Kiyosaki, o autor trata o conceito de ativos e passivos de forma bem simples. (já deve estar pensando, mas que diacho são ativos e passivos). Segundo Robert, pense assim: Ativo é tudo que coloca dinheiro no seu bolso; Passivo: Tudo que tira dinheiro do seu bolso. Desta forma: Um carro é um passivo, um apartamento financiado é um passivo. Da mesma forma, é um ativo: Um imóvel que você aluga, royalts de livro ou música, investimentos em ações e etc.. Pois, são negócios que colocam dinheiro em seu bolso.

Então, para evitar que você sofra perdendo sua única fone de renda (seu salário) é preciso que você tenha várias, oriundas de seus ‘ativos geradores de renda’. Então, se quer evitar problemas futuros, pesquise sobre investimos: Renda Fixa, Renda Variável, Investimentos Imobiliários e etc. Crie produtos digitais, como: E-book, cursos online.

Comece separando uma parte da sua renda para fazer seu dinheiro gerar mais dinheiro. Discipline-se! E com certeza, colherá bons frutos no futuro.

Aliás, recomendo a leitura do livro citado. É ótimo!

Like what you read? Give Wanessa Galdino a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.