Game of Thrones — Sétima Temporada

Nóis trupica mais não cai pode botar fé que desse jeito vai ♫

Cuidado! A noite é escura e cheia de spoilers, igual esse texto… Por mais que ligeiros…

Depois de 7 episódios e 2 vazamentos nos vimos perdendo de novo a série de TV que une famílias e amigos, demos um ‘até logo’ pra maior produção televisiva dos últimos tempos.

DESGRAAAAAAAAÇA

O sétimo ano de Game of Thrones começou com a missão de organizar todos os eventos das ultimas temporadas antes do final da série na próxima temporada, com menos episódios e muitas missões a temporada foi marcada pela narrativa confusa mas ainda assim empolgante.

Confusão que ficou marcada no episódio 6 da temporada “Beyond the Wall”, tanto fora quanto dentro da tela ja que a HBO Espanha exibiu o episódio 5 dias antes do que deveria, não demorou muito pra internet toda ter acesso ao que poderia ter sido um dos momentos que mais te fariam prendem a respiração caso você tivesse sobrevivido aos spoilers na sua timeline. O episódio corrido precisou que seu diretor viesse à publico pra tentar explicar o que muita gente não entendeu e o que muito fã chato contestou estudando documentário do animal planet sobre a velocidade que os corvos voam.

Um corvo pica x um Gendry 2017 os dois a 80Km…

Sentir saudades dos 10 episódios é praticamente inevitável mas, a quantidade de coisas que ficaram para os últimos 13 episódios (Juntando Sexta e Sétima temporada) é maior do que cabe confortavelmente no tempo de tela. O que me leva a parabenizar Dan Weiss e David Benioff e a equipe de roteirista que tiraram do caminho os personagens que não são realmente necessários para o conflito principal da série, Westeros contra o Rei da Noite.

As cenas negligenciadas, como a reação Daenerys (Emilia Clarke) com a morte de Viserion, receberam explicações, a personagem revelou que empenho é de não deixar a morte de seu dragão passar em vão. Na pressa coisas ficaram mal explicadas, a que mais me incomoda é a marca que o Rei da Noite deixou no braço de Bran, muita gente especulava que ao passar pela muralha com a marca a muralha perderia a magia que impedia que o exército de mortos atravessasse, igual fez com a caverna em onde vivia o antigo Coro de Três olhos. Bran não só passou com a marca pela muralha e nada aconteceu como a marca passou a ser ignorada, a ponto de nem ser mostrada de relance nenhuma vez durante a temporada inteira! Nessa lista também podemos colocar o exército de Imaculados presos e cercados por barcos inimigos e no outro ja estavam as bordas de Porto Real prontos para a batalha, coisas que talvez tivessem sido exploradas com os 10 episódios habituais.

Os teleportes são algo que a internet começou a se incomodar desde Varys na sexta temporada, nessa temporada tivemos isso de diversas formas e ainda mais explicitas, não é necessário mostrar viagens que não acrescentam nada na história, mas é preciso manter um limite de veracidade, voltando ao sexto episódio, que talvez devesse ter sido divido em duas partes pra ajudar a criar a tensão que não tivemos no que tinha tudo pra ser o maior episódio da história da série, faltou ver como o esquadrão suicida sobreviveram ilhados em um bloco de gelo, porém tudo se resolveu rápido e eliminou o potencial dramático que existia.

E la no norte o reencontro de Sansa (Sophie Turner), Arya (Maisie Williams) e Bran (Isaac Hempstead Wright) rendeu dinâmicas interessantes, desde Bran sendo a pessoa com menos aptidão social de todos os tempos até Arya e Sansa em estado de guerra fria que terminou no som preocupadoramente tranquilizante da garga do Mindinho (Aidan Gillen), que até me fez perdoar o quão exagerado foram as “ameaças” da Arya episódios antes. Os 3 Starks são a prova vida do crescimento da série desde o primeiro episódio.

Esse momento é nosso.

Vendo as contas chegarem

Com os Lannister, Cersei (Lena Headey) cada vez mais mulher perigosíssima teve dois grandes momentos no último episódio, o primeiro com Tyrion (Peter Dinklage) e o segundo com Jaime (Nikolaj Coster Waldau), a relação familiar problemática e doentia exibida em cada frase dita de um para o outro. No final, Jaime ainda tem algum resquício de honra e parte sozinho para o Norte e Cersei se afunda no seu egoísmo e ganha o titulo de ‘Quebrado de Promessas’ pra tentar chegar perto dos títulos que Daenerys tem.

Quando você ta com um halls preto na boca e bebe água

E é lógico que o principal ficou no final, a justificativa dos 7 episódios ao invés dos 10, a justificativa do perigo que vem desde a primeira cena da primeira temporada, o dinheiro economizado jogado do céu por um Rei da Noite montado em um dragão reanimado derrubando a muralha a base de fogo azul (Eu acho)

No final o inverno também chegou ao Sul, são só mais seis episódios até o final de Game of ThronesGeorge R.R. Martin, já disse que o fim da história será agridoce, o que não ajuda em nada na tarefa de se despedir independe da conclusão narrativa, não vai ser fácil dizer adeus, a longa noite chegou em Westeros enquanto o longo ano de espera chegou na Terra. Boa sorte pra todo mundo.

A Oitava e ultima temporada de Game of Thrones ainda não tem data de estreia

In memoriam:
- Olenna Tyrell
- Thoros de Myr
- Benjen Stark
- Viserion (Pero no mucho)
Ja vai tarderiam:
Todo o núcleo de Dorne
Mindinho