Camaleão
Sara Vieira
11

Particularmente, já me considerei uma “presa fácil” dessa espécie de camaleões em certos ambientes. No entanto, hoje sei que esses eram ‘apenas’ camaleões pequenos que assimilaram muito bem o nicho ecológico no qual tinham nascido com os camaleões maiores. De fato é preocupante demais a amplitude que o “Camaleão-excluidor-de-vozes” tá tendo no ambiente e na nossa realidade atual; sobretudo quando sua habilidade de mimetismo é tão aguçada que eles também são capazes de se camuflar de cobras peçonhentas. Daí, até desenvolvem veneno para prejudicar diretamente as presas com que nem têm contato direto na comunicação (ou onde cujas presas já lhe parecem inexpressivas independente da sua voz). Infelizmente, acho que temos vários camaleões desses concentrados em pontos específicos, sempre planejando o próximo bote… Botes que nem geram mais surpresa mesmo sendo praticamente ‘anti-naturais’.

Enfim, vamos a algo que não é surpresa: adorei. Nenhuma das referências eu havia lido especificamente antes (apesar de já ter pego essa obra do Thompson); pra mim, num certo momento, alternou linhas de extrema inspiração com algumas repetiçõezinhas de ideias, mas entendi que é porque justamente para reforçar o alerta do nêmesis às presas em potencial — a maioria de nós.

O único problema agora é que Sua Senhoria acabou atiçando em 200% minha curiosidade de ler o seu trabalho sobre o Orwell hahaha… Mesmo eu não sendo grande coisa para criticar ou qualificar, você é incrivelmente talentosa e tomara que não pare nunca de escrever. Suas palavras costumam proteger contra qualquer cor nociva e mostram sempre uma paleta nova para os leitores. Parabéns!

Like what you read? Give Iury a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.