Da Janela

A garotinha debruçada na janela vê a vida passar.

Correria. Gritos. Conversação.

Uma mulher com cabelo encaracolado atravessa a rua e tropeça em algo jogado no chão.

Levanta e, sem se importar com o algo ser uma criança encardida usando poucas roupas, segue seu caminho.

A criança se levanta, assustada, procurando o que aconteceu para ter tirado a paz de seus sonhos, quando dois homens de mãos dadas passam por ela.

Os dois homens não estão mais de mãos dadas. Caídos no chão, foram abordados por um grupo de pessoas com tacos de madeira e objetos cortantes nas mãos.

O grupo de agressores foge quando ouvem a sirene de uma viatura da polícia se aproximando.

A viatura passa pelos dois homens agredidos sem dar-lhes atenção e segue para uma ruela a poucos metros de onde a garotinha observa.

Um homem ameaça uma mulher com uma faca enquanto a mesma corre para a rua. A polícia chega. Dois disparos ecoam por todo o quarteirão.

Correria. Gritos. Conversação.

A garotinha que está debruçada na janela se afasta.

A garotinha que estava debruçada na janela teme o fato de que um dia estará sendo observada por alguém debruçado na janela.