Ux Writing Challenge — Day 8

Começar a escrever é muito difícil. A primeira frase parece que sempre empaca. Decidir por onde começar e os rumos que as palavras vão tomar é uma tarefa tão árdua quando admirável. Mas, é claro, as palavras sempre acabam tomando os seus próprios rumos independente do que planejamos antes de colocar a mão na massa. E assim também é a vida.

Escrever sempre foi uma das minhas coisas favoritas e, ao mesmo tempo, uma das que mais tive dificuldade de fazer. Sempre foi uma atividade em que a procrastinação fazia a festa. Daí, eu não quis aceitar, quis aprender programação, aprender sobre produto, sobre marketing, sobre branding e tudo isso me levou de volta para o ponto de onde parti — o texto.

Esse desafio é o início de uma jornada nova, é o início de uma aceitação e uma mudança de carreira que volta, na verdade, para as minhas origens. Mas é claro que a escrita voltada ao produto (seja enquanto ux writing ou copywriting) não é poesia. É pesquisa, é programação, é marca, métricas e um tanto de outras coisas mais que tenho aprendido todos os dias. E que jornada feliz que tem sido.

Leio os desafios e busco em mim referências de todo o tipo. Algumas gosto mais que outras. No início do desafio disse para mim mesma: sem julgamentos de valor. Aqui, estamos em busca do processo. E, no processo, descubro que adoro pontos. E palavras soltas. E que quero sempre exceder o número de caracteres. Às vezes penso até que tudo bem, ninguém vai contar. Mas volto e corto um pouquinho aqui e outro ali pra caber naquele campo curtinho. Passar uma mensagem é difícil, e sigo tentando e sorrindo.

Como todo dia, depois de uma divagação, temos a tarefa, afinal, estamos aqui para isso:

e-mail recebido do #uxwritingchallenge | https://dailyuxwriting.com

O cenário dessa vez é sobre uma cozinheira amadora e ‘’foodie’’ devota (em bom português, uma viciada em comida) que segue vários blogs gastronômicos.

E o desafio é avisar a essa usuária que uma receita de couve flor da sua blogger favorita está disponível em um app. Como nos últimos dias, são 75 caracteres ao todo, divididos entre título e texto. Os dias passam e os caracteres continuam sendo o Everest dessas tarefas (rs).

Meu resultado do dia foi o seguinte:

Headline: Cauliflower. You. Dinner tonight.

Body: The best recipe in the world is here, thanks Rita Lobo.

Já dei um preview da minha linha de raciocínio ali em cima, vai? A verdade é que segui o meu instinto natural de criar uma unidade no título pelos pontos finais e, prezo a amizade no texto, esse foi o ponto chave.

Tenho tido mais dificuldade nesse tipo de desafio, como no de ontem, por exemplo, em que o cenário é pouco delimitado. É preciso construir a narrativa por aqui antes de criar, para ‘’dar liga’’ e gerar uma aproximação, um texto que cative e tenha a ver com a usuária.

Por hoje, me despeço, vou estudar um pouquinho mais sobre personas e volto amanhã. Um beijo.