Quer ser feliz? Arrume uma gaveta.

Dia desses a minha amiga veio me perguntar o motivo de eu sempre estar compartilhando nas minhas redes sociais artigos relacionados ao tema minimalismo. “É a tua religião?” me perguntou. Eu disse que não, mas pensando melhor eu acho que a resposta poderia ser sim. Eu me sinto muito mais próxima de Deus quando eu me vejo livre da bagunça. É praticamente um prazer espiritual ver as superfícies vazias e a mesa livre de papeladas inúteis. E uma mesa assim dá um baita tesão:

Sério tô até com o braço arrepiado.

Mas afinal, o que seria ser minimalista? É um estilo de vida. Significa abdicar de uma vida consumista e apressada, uma realidade tão comum nos dias de hoje. Aderir a esse conceito é saber dar espaço apenas para as coisas que são essenciais e que te fazem feliz. É ter no seu guarda roupa apenas o que você usa muito, ter nas sua estante apenas os seus livros favoritos, se cercar apenas das coisas que realmente te fazem bem e que não estão te atrasando a vida.

Você terá mais tempo para ser produtivo e vai gastar menos tempo arrumando a casa. Porque, vamos combinar, uma casa com poucas coisas é menos coisas para ficar prestando atenção. É aquele velho ditado de que “menos é mais”.

Eu nunca fui uma pessoa organizada, e sei que muitas pessoas têm muita dificuldade de ser assim também. E então eu descobri que a minha falta de organização vinha do fato de que eu não tinha um lugar para cada coisa. Porque as vezes você tem tantas coisas que nem sabe mais onde raio enfiá-las e aí se cria uma “gaveta da bagunça”.

Eu acredito muito em energias e, realmente, se apegar a certas coisas interfere no fluxo das energias. Não é bobagem o que todo mundo fala de que “um quarto bagunçado é uma mente bagunçada”. É incrível como até os pensamentos fluem melhor quando estamos num espaço livre de tralha e incomodação.

Há em quem acredite em caos criativo. Mas vou colocar da seguinte maneira: você não vai ser muito mais feliz se na sua “bagunça organizada” você só tiver a sua volta o que você precisa e te faz feliz??

O minimalismo pode ser uma saída para ser uma pessoa mais organizada. Ele melhora vários aspectos da vida, evitando a procrastinação, o gasto desnecessário e promove uma melhor gestão do tempo.

Foi por causa desse estilo de vida que passei a me interessar por maneiras de “viver uma vida mais leve”. Comecei a ler mais artigos sobre diversos métodos de produtividade (são tantos que nem caberiam em um único texto do Medium) e me interessei por outros assuntos relacionados a bem estar, meditação, sustentabilidade e o “slow living”.

Nessa jornada, me tornei menos estressada no meu dia a dia e também conheci diversos “mestres”, como David Allen escritor do Livro Get Things Done- A Arte de fazer acontecer e a japonesa que ficou famosa por inventar o Método Kon Marie, que ensina justamente a praticar o desapego para manter a casa definitivamente organizada.

Pode parecer estranho pensar que organização é um assunto que rende muito estudo e pesquisa. Mas foi a necessidade de buscar mais leveza e praticidade do meu dia a dia que me fez chegar a essas teorias.

É um caminho, estou sempre me adaptando a melhor forma e dando um jeito na minha bagunça e desordem mental constantemente. Sei que muitas pessoas também têm muita dificuldade em lidar com a bagunça do dia a dia e falta de motivação e foco. Mas, se parece muito difícil saber por onde começar a buscar a felicidade, sempre é bom começar com uma gaveta. Garanto que você vai se sentir muito em paz.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Cora Zordan’s story.