quatro paredes e um banheiro. umas plantas perto da janela porque elas gostam de sol e aquele é o único ponto iluminado o suficiente em todo o cômodo. meu quarto está para mim como a caixa de papelão está para os gatos. pesquisadores holandeses constataram que gatos gostam de caixas por ser uma herança da vida predatória. esconder-se é uma estratégia comportamental das espécies para lidar com a mudança de ambiente e com o estresse. foi o que eu li em algum lugar não muito confiável, mas deve ser verdade, porque eu acreditei. comecei a escrever porque é isso que os escritores fazem. então é isso que tenho que fazer, cara, apenas sentar minha bunda peluda e cheia de celulite e escrever.

sou magro e feio.

minha autoestima oscila mais que meu pau durante uma noite cheia de sonhos eróticos intercalado por pesadelos.

minha palavra favorita é empoderamento. aprendi ela lendo sobre feminismo que é um assunto super interessante e nunca matou ninguém dar uma pesquisada sobre.

preciso me empoderar.

e escrever.

queria ter uma máquina de escrever, mesmo que velha e quebrada. gostaria de estar escrevendo nela, o som das teclas seriam bem mais interessantes e todo o processo ganharia ar de ritual. seria melhor que esse notebook onde as letras das teclas já estão desaparecendo e preciso ir por instinto buscar as palavras que procuro.

escrever pode ser como fazer rap em free style.

improvisação no jazz.

preciso levar essa máquina de escrever para o concerto. essa aqui dentro da minha cabeça.

roll the dice do bukowski.

sempre que tiver uma crise criativa ou duvida se deve continuar a escrever leia roll the dice do bukowski.

só isso.