Confissão sobre minha vida anterior

A ignorância é uma benção, disse alguém que eu ignoro. Frase perfeita para o conhecimento sobre outras vidas. Há quem contrate um parapsicólogo para fazer uma regressão de vidas passadas. Querem saber quem eram em outra vida para entenderem quem são nessa. Esse texto é um alerta. Agradeçam a sua ignorância. Eu sofro diariamente depois que descobri quem eu fui na minha vida anterior.

Você consegue imaginar o que é ver uma camiseta ou uma tatuagem e automaticamente lembrar de outra vida? Ouvir discussões que relaciona com escolhas ruins que fez 20 anos antes de nascer? Sentir saudades de uma vida diferente da sua? Deixei de ser apenas eu, Guilherme, um simples analista de sistema, para ser algo mais.

Um dia eu tive um sonho. Semanas depois os locais, pessoas, cores, sensações e ações do sonho continuavam intactos na minha mente. Era como se tudo tivesse acabado de acontecer.

Resolvi conversar com um médium do centro espirita que frequentava. Contei tudo em detalhes. O médium me perguntou: O que sentia durante o sonho? Quem eram as pessoas que estavam contigo? Já teve outros sonhos assim? Quando terminei de responder, ele me disse que era uma lembrança de outra vida.

No sonho eu estava nos bastidores de um show. Não parava de balançar as pernas. Me levanto e começo a andar em círculos. Alguém me dá uma guitarra e aponta para as escadas.

Subo para o gramado em direção ao palco. Os gritos do publico estavam a uma altura que impossibilitava qualquer conversa. Um policial tapa os ouvidos fazendo uma careta.

Forço os músculos da face para dar um sorriso. Aceno para o público. Nunca tinha visto tantas pessoas juntas para verem um show. Os gritos da plateia aumentam.

Subo no palco. Ligo os equipamentos e afino minha guitarra. Não lembro mais como fazer um acorde. Minha voz sairá se tentar cantar?

Olho para a direita e vejo meus colegas de banda. Seus sorrisos parecem naturais. Chegamos aqui juntos, se eles conseguem eu consigo! Nos olhamos confirmando que estávamos pronto.

O baixista conta one, two tree, four. Dou o primeiro acorde e começo a tocar como se estivesse sozinho no quarto de hotel. Mesmo sem conseguir me ouvir direito, faço perfeitamente os vocais junto com meus colegas de banda. Depois eu canto Well, shake it up baby now. Eles respondem shake it up baby now.

O show prossegue e começamos a segunda música. O alarme do despertador toca. E desde então eu tento esquecer desse sonho. Mas não há como esquecer quem eu sou. Eu sou a reencarnação de John Lennon.