Cronologia

06:20 - Minha esposa me acorda e sai para o trabalho. Ainda rolando na cama decido que não vou trabalhar. Me levanto, tomo um banho rápido, coloco um shorts, regata e chinelo.

06:40 - Acordo a minha filha Priscila que vai bufando para o banho. Enquanto isso preparo seu leite e pão com manteiga.

07:05 - Na mesa Priscila pergunta sobre minha roupa. Informei que resolvi tirar o dia de folga. Então Priscila me dando uma bronca anuncia: “Se você não está doente e não vai trabalhar eu também não vô para a escola!”

Não sou adepto da filosofia faça o que eu digo, não faça o que eu faço. Então fiz o que qualquer bom pai faria.

07:30 - Priscila e eu saiamos de casa para passear com o nosso cachorro Ringo. No caminho para a praça vejo o ônibus que pego todo o dia ignorar os sinais de um colega de trabalho e passar direto.

09:00 - Cansados de tanto brincar com o Ringo na praça paramos na padaria para tomar um suco de laranja e comer um sonho.

No trabalho, meus colegas pegam as primeiras xícaras de café e fazem fila para bater o ponto.

09:30 - Como não chegávamos a um consenso sobre que filme veríamos, resolvemos decidir em uma melhor de 3 de dama. Com tristeza e orgulho perdi 2 partidas para uma criança de 9 anos.

Cansado de perguntar para meus colegas se eu tinha dado sinal de vida, meu chefe liga para meu celular. Pena que esqueci de carregar antes de dormir.

10:30 - Priscila escolhe ver Divertidamente e eu dou muita risada com seus comentários.

Durante uma hora e 45 minutos meus colegas de trabalho ficam presos em mais uma reunião que poderia ter sido um e-mail.

12:30 - Levo Priscila na casa da minha mãe e ajudo a terminar o almoço. Comemos um frango à parmegiana. Rimos com as histórias da minha infância.

Meus colegas comem um PF enquanto discutem sobre fulano que não faz isso, ciclano que disse isso e beltrano que devia ser demitido

14:00 - Enquanto eu lavo a louça, Priscila ganha 2 partidas de dama contra a avó. Faço um café para minha mãe e eu. Priscila também queria, mas teve que se contentar com um chá.

Meu chefe não para de reclamar de mim. Escreve um e-mail relatando os problemas ocasionados pela minha falta. Na copa meus colegas reclamam da demora para chegar o café.

15:00 - Chegando em casa Priscila e eu acabamos adormecendo no sofá.

No trabalho começa uma discussão sobre um erro. Rapidamente se transforma em uma caça as bruxas que termina na minha condenação a revelia.

16:15 - Acordo, vejo que ainda não são nem 17 horas. Aproveito que Priscila pede para usar o computador e abro um jogo de PS4 que comprei há uns 2 meses.

Meus colegas trocam mensagens pelo Skype xingando o chefe após receberem invited para uma reunião as 18 horas.

18:00 - Resolvo fazer um jantar para minha esposa. Começo a cortar os ingredientes e preparar o molho. Priscila fica de ajudante.

Inicia-se a reunião onde meus colegas passam 2 horas vendo ppts e ouvindo sobre o novo organograma da empresa e as metas para os próximos meses.


08:45 - Chego no trabalho e o chefe me repreende na frente de todos. Reclama que minha falta prejudicou a equipe. Ele pede que eu resolva rapidamente os problemas que encaminhou por e-mail.

09:45 - Depois de me atualizar sobre as noticias do dia, ver o Facebook, Twitter e tomar café, leio o e-mail enviado pelo meu chefe. Havia 3 clientes que não foram atendidos corretamente e 1 relatório importantíssimo que ficou atrasado.

10:00 - Ligo para os 3 cliente e descubro que não tinham urgência no atendimento. Um, inclusive, teve o problema resolvido por um colega. Resolvo rápido as pendências dos outros 2. O relatório importantíssimo é um que há 6 meses mando diariamente para meu chefe e nunca é lido. Como faço há 1 mês, apenas reencaminhei o último e-mail alterando o titulo.

10:45 - Depois de retrabalhos, responder e-mails de outros gestores e provar minha inocência sobre o problema do dia anterior, fico até o almoço ouvindo música e listando quantas coisas poderia fazer no tempo que estou no trabalho.