Jerusalém é Palestina! #ForaTrump

A onda de solidariedade mundial pela Palestina tem mobilizados os povos em defesa da autodeterminação do povo palestino. Desencadeada pela mudança da embaixada dos EUA (na quarta-feira dia 6) de Tel Aviv (capital oficial de Israel) para Jerusalém (cidade internacional, onde é vetada a instalação de embaixadas segundo Resolução 478 do CS-ONU), os povos do mundo tem se levantado em apoio à Palestina Livre.
 A onda começou no próprio Oriente Médio: na quinta-feira (7) o Hamas convocou uma terceira intifada, que levou a uma greve geral e manifestações massivas em Bethlehem na Cisjordânia.

No domingo (10) um palestino esfaqueou um guarda israelense numa estação de ônibus em Jerusalém e está preso. No Líbano manifestantes tentaram atacar a embaixada estadunidense em Beirute, sofreram repressão violenta com tanques e jatos de água.

Se estendeu também à Europa onde no mesmo dia três pessoas foram presas após ataques com coquetéis moltov a uma sinagoga na Suécia¹, houve protestos na Indonésia, no Marrocos e na Turquia.

No domingo também torcedores do time escocês de futebol Celtic (fundado por descendentes de irlandeses) manifestaram seu repúdio à ação de Trump na partida contra o time israelense Hapoel Be’er Sheva6, ano passado o time já havia sido multado em 10 mil euros pela UEFA pelo apoio aos palestinos [7].

Na segunda (11) de manhã o Hezbollah libanês convocou uma manifestação na periferia sul de Beirute, no mesmo dia a tarde os bassidjis (grupo estudantil) convocaram passeata no Irã4. Na quarta-feira (12) houve protestos na Turquia, nas Filipinas e em Bangladesh.

As movimentações foram organizadas em resposta às iniciativas diplomáticas que aconteceram em torno do conflito. Netanyahu, primeiro-ministro israelense, deixa evidente que as movimentações devem seguir o caminho de declarar Jerusalém como capital oficial de Israel e fez visitas à países europeus a partir de domingo (10). Representantes como o francês Macron² e Lubomir Zaoralek, Ministro de negócios estrangeiros da República Tcheca já declararam que a decisão “ameaça a paz” e a União Européia se recusam a reconhecer Jerusalém como capital, considerando as fronteiras anteriores a guerra de 196⁷³. Em resposta, no mesmo dia do início da viagem do primeiro ministro sionista a Liga Árabe reunida na Jordânia declara Jerusalém oriental capital da Palestina⁴. Recep Tayyip Erdogan se coloca como defensor da causa Palestina e se reuniu segunda-feira com Putin, dois dias antes de a Turquia acolher uma cúpula da Organização da Cooperação Islâmica5.

Na quarta-feira (13) 57 países árabes membros da Organização da Cooperarão Islâmica (OCI), reunidos em Istambul (capital da Turquia) disseram não aceitar os EUA como mediador do conflito por não serem neutros e irão pedir anulação da decisão de Trump no Conselho de Segurança da ONU[9].

O Brasil não ficou fora da rota de solidariedade e a manifestação na Paulista no Domingo contou com centenas de ativistas8. O Itamaraty em pronunciamento oficial recomenda que o status de Jerusalém seja definido em “negociações com os palestinos que assegurem o estabelecimento de dois estados vivendo em paz e segurança dentro de fronteiras internacionalmente reconhecidas e com livre acesso aos lugares santos das três religiões monoteístas”12.Terça-feira (12) houve manifestação do Rio de Janeiro, em frente ao Consulado dos EUA. Na mesma terça, o movimento Nuevo Perú, que impulsionou a candudatura de Veronika Mendonza denúnciou a posição do Fujimorismo e manifestou sua solidariedade aos Palestinos, repudiando movimentações que visam mudar a localização da embaixada do Perú em Israel13.

Sexta-feira (15) dez mil pessoas protestaram na Jordânia saindo em marcha após a oração vespertina na frente da Grande Mesquita de Hussein, no centro de Amã. Motivados pela solidariedade aos irmão palestinos e também contra a presença de bases estadunidenses em território jordano pediram a abolição do tratado de paz de 1994 com Israel e a anulação do acordo para importar gás de Israel, no valor de 10 mil milhões de dólares10. No mesmo dia 500 palestinos se manifestaram em lisboa, capital de Portugal, contra o reconhecimento da decisão de Trump para também pressionar o Governo português a aderir ao movimento de boicote11.

Nos últimos 7 dias foram mortos pela polícia israelense cerca de 12 pessoas e feridos são muitas centenas, o direito à vida do povo palestino só será plenamente garantido quando houver direito a um território soberano, com o fim das colonizações israelenses que avançam dia após dia em Gaza e na Cisjordânia. Jerusalém é Palestina, pelo direito à vida e autodeterminação do povo sobre seu território soberano. O Juntos! faz coro ao Fora Trump que ecoa nos quatro cantos do mundo!

Fontes:

[0]:http://maannews.com/Content.aspx?id=779585 / http://maannews.com/Content.aspx?id=779590

[1]:https://oglobo.globo.com/mundo/europa-pressiona-netanyahu-sobre-reconhecimento-de-jerusalem-22174538

[2]:https://g1.globo.com/mundo/noticia/macron-diz-a-netanyahu-que-reconhecimento-de-jerusalem-como-capital-de-israel-e-perigosa-ameaca-a-paz.ghtml

[3]:https://www.publico.pt/2017/12/11/mundo/noticia/ue-nega-a-netanyahu-reconhecimento-de-jerusalem-como-capital-israelita-1795553
[4]:https://www.terra.com.br/noticias/liga-arabe-condena-decisao-de-trump-sobre-jerusalem,d0131c049188d925d4093f23c2658e26cnklv6zn.html

[5]:https://istoe.com.br/jerusalem-continua-a-mobilizar-as-ruas-e-a-diplomacia/

[6]:https://www.thescottishsun.co.uk/news/1953599/celtic-fans-banner-jerusalem-palestine-trump/

[7]:http://espn.uol.com.br/noticia/634973_celtic-e-multado-pela-uefa-por-bandeiras-da-palestina-na-torcida

[8]: https://www.facebook.com/InternationalLabourSolidarity/

[9]: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2017/12/paises-muculmanos-condenam-eua-por-eleger-jerusalem-capital-de-israel.html

[10]: https://www.dn.pt/mundo/interior/jerusalem-mais-de-10-mil-jordanos-manifestam-se-contra-decisao-de-trump-8988147.html

[11]: https://www.dn.pt/lusa/interior/jerusalem-palestinianos-em-lisboa-apelam-para-solidariedade-dos-portugueses-contra-trump-8989375.html

[12]: https://oglobo.globo.com/mundo/itamaraty-contraria-decisao-de-trump-sobre-jerusalem-22163131

[13]: http://nuevoperu.pe/2017/12/12/nuevo-peru-expresa-su-solidaridad-con-palestina/