Sobre novas coisas antigas

É estranho como nos colocamos conscientemente em situações ruins, sabendo que vamos nos arrepender em algum ponto de estar fazendo aquilo e mesmo assim acabamos nos jogando de cabeça, por pura euforia do momento, como quem diz “eu vou sofrer, mas eu não me importo, desta vez vai valer a pena”. E não vale.

Novamente passamos pelas mesmas coisas, sofremos as mesmas dores, os mesmos velhos arrependimentos voltam a tona pra dizer “eu estou aqui ainda, lembra?” e novamente nos encontramos sem saída de uma situação que entramos por vontade própria. E assim, voltam os velhos hábitos, as saídas temporárias de problemas antigos, abrir uma nova ferida por uma ferida antiga. Um por um, é justo não?

No fim, as cicatrizes sempre ficam.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Rafael Azevedo’s story.