Cidade neon

Degelo da aridez numa velocidade ou frequência autoimune dos olhares vidrados. Lugar comum desconfiar dos encontros que não se concluem. A impressão que não é tão simples assim interpretar a cidade. O pó dos dias desabrocha no banheiro. A outra estremece confunde gestos e afetos em um espaço todo verde. E no vazio de cada salto alto as notas mal cansadas e carentes uma esquiva (sem café). Nomes que não estão nos mapas. Gritos lá fora. Silêncio para não dormir