Corre das tretas como quem corre das tretas? Crônicas são sempre impossíveis e frases óbvias fazem o óbvio parecer óbvio demais — foi o que pensei. Observo as movimentações políticas que têm me abalado. Enquanto isso, tento me redimir da culpa de ter conversado com quem defende — ainda em tempos trágicos — essa intervenção militar. Parecia uma piada sem graça, mas não era. Mais intervenção militar? Sou contra opressões, dominações, machismos e afins e tento deixar isso claro em atos e ações. Contraditória. Embora tola, embora impotente, insisto na vontade de continuar. Não, não corro tanto das tretas assim. Nas redes sociais me incomodo com o silêncio. Devemos pensar outro tipo de intervenção? Luta virtual? Nossos meios? Até a imprensa que até hoje se dizia alternativa abriu as pernas sem titubear.

Acreditar… Na quinta depois da terça. Só no embate somos capazes de prover, transformar, deslocar. Só nas mulheres espelho tudo que é óbvio! Desconstruções na mata sagrada.