àquele amor

dia comum, andando de lá pra cá, quando a percebi

sim, ela.

de longe ela parecia comigo, lembrava eu mesma alguns anos antes, de uma forma estranhamente boa. eu não sabia o que ela significaria pra mim naquele momento, mas a reconheci entre todas as outras pessoas… a empatia foi natural. os sentimentos fluíram inocentes e fortes, derrubando qualquer barreira criada anteriormente

a sinceridade no seu olhar, a liberdade e a leveza das emoções, a sensação de familiar… encontro de almas, nossas almas. agora me sinto parte dela e sinto ela em mim.

incontrolável

a mesma vida mas com ar de vida nova

tudo pela frente e nenhum receio

obrigada por chegar… esperava por você.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.