Des-encontro

Ela foi se aproximando, sabendo que a hora estava chegando
e como o tempo passa rápido quando você quer que ele não passe..
O ônibus estava lá parado e ela ficou olhando pensando que aquele ônibus
levaria seu amor para quilômetros daquele lugar
todos começaram a embarcar, com uma dor no peito e um nó na garganta ela se despediu carinhosamente dizendo ‘volta logo que eu estarei aqui te esperando’ e um abraço forte concluiu a despedida
Ela ficou ali parada olhando.. olhando aquela pessoa, olhando todas as outras pessoas, todos os abraços e beijos e pensou em como a saudade era um sentimento presente, e como doía.
Todos estavam dentro do ônibus, em seus devidos assentos. será que essa era a hora de ir embora?
não.. ainda não. Ela andou até o outro lado do ônibus e olhou as janelas, procurando…
quando encontrou o que queria, achou graça da sua distração, enchendo um travesseiro de pescoço com toda tranquilidade… mas isso foi rápido, por que o aperto voltava.
As portas se fecharam, o motorista entrou e fechou sua porta também.
Finalmente seu olhar foi retribuido, através daquela janela escura.. o olhar mais lindo..
recebeu um meio sorriso de volta, querendo dizer tudo que sentia com isso
até que viu que a boca através do vidro se mexeu, dizendo um ‘eu te amo’ silencioso.
vontade de correr pra dentro daquele ônibus e deixar tudo pra trás não lhe faltou… não faltou mesmo.
mas ela sabia que não precisava fazer isso agora, colocando tudo a perder, pois um dia tudo ficaria como deveria ser.
o ônibus saiu, levando agora uma parte essencial dela… mas ela sabia que ele logo voltaria trazendo essa parte de novo e aí tudo ficaria bem de novo.
Ela olhou até o ônibus desaparecer.. então sabia que aquela sim era a hora de ir embora, e não antes.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.