Quatro comédias românticas da Netflix para dias de bad

Tem dias que bate aquela bad e a gente tem vontade de ficar bem trevoso debaixo do edredom. No entanto, trago nesse post opções para acalentar corações sofridos. Ou, pelo menos, fazer dar umas risadinhas que é o remédio mais eficiente e rápido contra bads.

Antes de mais nada, preciso fazer uma observação importante: a maioria dos filmes são espanhóis. Isso simplesmente aconteceu na minha vida. Vi uma comédia espanhola na Netflix, amei. Vi outra e mais outra. Talvez eu tenha um gosto duvidoso, ou talvez eu só tenha achado filminhos ótimos muito perdidos no imenso catálogo da Netflix e resolvi compartilhar porque um achado é um achado, não é mesmo? São filmes que moram no meu coraçãozíneo.

Vale dizer também que: as vezes são bem clichês, bobinhos etc mas é o que a gente gosta na bad. Veja sem preconceitos , imensas expectativas e tal. Ps: Eu tenho um amigo hipsterfóbico que provavelmente odiaria todos eles. Se você for esse tipo de pessoa 1-não veja 2-credo. (oi, migo).

Importante mencionar que o que mais me chamou atenção nas comédias espanholas é que o conflito não se estabelece a partir de uma mulher desesperada pra casar e aquela coisa de sempre. É um humor bem diferente e que aborda temas que geralmente não entrariam numa comédia. Não nas que estamos acostumados.

Feitas as devidas observações, vamos lá:

Casa Comigo?

Esse é o único não espanhol na lista e talvez o mais clichê de todos, mas é um clichê muito maravilhoso. Motivos pra ver: Tem a Amy Adams(esse foi o motivo que me fez assistir),baita fotografia (tem paisagens incríveis) e é absurdamente engraçado. Eu chorei de rir, juro. Amém, Amy Adams. Leve o Oscar do meu coração.

Requisitos Para Ser Uma Pessoa Normal

Começamos os filmes espanhóis. María é uma mulher que se acha fracassada porque não tem o emprego dos sonhos, precisou voltar para a casa da mãe e não tem um bom relacionamento com ela, não se casou, não tem filhos (percebam que a parte do não se casou é só uma parte. Eu amo isso). Ela faz então uma lista de coisas que, ao que tudo indica, são necessárias para que uma pessoa seja considerada normal. A partir daí o filme vai desconstruindo esses requisitos para “ter uma vida normal”. Tem romancezinho? Tem. Mas é fofíssimo. A protagonista é a diretora, Leticia Dolera (diretora mulher: mais um ponto pro filme). E se você gosta da vibe tons pastéis alá Wes Anderson, recomendo.

Ahora o Nunca ( Tradução livre: Agora ou Nunca )

Se você chegou nesse maravilhoso tópico três só te digo uma coisa: CORRE VER ESSA COISINHA MARAVILHOSA.

Não sei se é meu preferido porque amo todos mas, com certeza, foi o que mais me fez rir. A história é bem simples: Eva e Alex estão noivos e decidem se casar numa cidadezinha afastada no interior da Inglaterra. Uma greve de controladores de voo impede que o noivo e alguns convidados cheguem e ai começa uma maratona pro casamento sair. Tem até aquela típica corrida atrás do queijo que acontece na Inglaterra. Ponto extra: a diretora desse também é mulher.

4. Ocho Apellidos Vascos (Em português chamaram de Namoro à Espanhola, mas nhe. Tradução livre: Oito Sobrenomes Bascos)

Se você gostou de Ahora o Nunca, provavelmente vai gostar desse. É o mesmo ator protagonista. E sim, foi assim que cheguei nesse filme lá na Netflix.

Em Ocho Apellidos Vascos, Rafa é um espanhol que conhece a basca Amaia e se apaixona. Ele vai até o País Basco para conquistá-la mas dois problemas se estabelecem: ele é espanhol e ela basca (O País Basco tem cultura e língua própria, fica no extremo norte da Espanha e quer a independência), e Rafa precisa fingir para o pai de Amaia que é Basco para que ele não o odeie. Ou seja, o conflito amoroso se desenrola com uma temática de fundo bem diferentona pra gente.