Se você está cansado, leia este texto!

imagem da internet que nem tenho autorização para usar

Temos um problema muito grande na sociedade atual: o otimismo.

Precisamos matar o otimismo.

Chutar quem diz “você consegue”.

Cuspir em quem diz “vá atrás dos seus sonhos”.

E pichar toda publicação que diz “fé, foco e força” (ou seja lá qual for a ordem — se tiver)

Sério.

Estamos adoecendo.

Ou como diz Byung-Chul Han, filósofo e autor do Sociedade do Cansaço, de forma mais culta que a minha:

“(…)a sociedade do desemprenho e a sociedade ativa geram um cansaço e esgotamento excessivos. Esses estados psíquicos são característicos de um mundo que se tornou pobre em negatividade e que é dominado por um excesso de positividade”.

Depressão, transtorno de déficit de atenção com síndrome de hiperatividade, transtorno de personalidade limítrofe ou síndrome de Burnout. Tudo culpa do “otimismo”.

Ele vai mais longe.

Diz que a sociedade da disciplina que o Foucault proclamava já era.

Hoje é cada um por si. Cada um é sua própria empresa e ninguém mais precisa de fiscalização. É inovador e genial. Somos nós mesmos que fudemos a nossa própria cabeça. Sem chicotes!

Somos eficientes pra caralho.

“No lugar de proibição, mandamento ou lei, entram projeto, iniciativa e motivação. A sociedade disciplinar ainda está dominada pelo não. Sua negatividade gera loucos e delinquentes. A sociedade do desempenho, ao contrário, produz depressivos e fracassados”.

Então se você está esgotado é porque caiu nesse golpe. O de nascer nessa sociedade. Que não foi exatamente uma escolha sua, claro, mas mesmo assim, capaz que se sinta responsável e culpado, afinal é como estamos funcionando.

Eu já escrevi esse texto, mas mesmo assim vou ter que pensar em divulgar. Pra isso preciso saber manter relações e minhas redes sociais (e saber qual está mais atual, mesmo que eu esteja velha e cansada pra acompanhar), colocar uns filtros, editar, melhorar a imagem, postar e impulsionar. Obrigar uns amigos a dar uns claps no final, pra incentivar o pessoal a dar outros claps também. E no final ter umas 51 palminhas (minha melhor amiga obrigo a dar 50 claps e sempre surge alguém com pena).

E por fim, pensar que não fiz o suficiente.

Eu só queria escrever a droga de um texto é verdade. Mas veja bem, se eu posso escrever e vender a minha imagem, e falar de um livro, quem sabe no futuro eu não poderia transformar isso em um projeto e monetizar?! Hein?

Agora é assim. A gente não faz nada mais sem pensar em todo o plano de negócios. Yes we can!

Somos multitasking!

Igualzinho os animais selvagens.

É, porque na natureza um animal ocupado em mastigar a comida também tem que se preocupar em não ser devorado e que a prole não seja devorada. Muito trampo. Por isso animais são incapazes de contemplar e de se aprofundarem.

São multitarefas.

Byung-Chul Han diz que o tédio é criador. Que foi assim que inventamos a dança. Que só o homem pode dançar. Mas dai eu já acho que ele tá errado, porque já vi um monte de vídeos de cachorrinhos dançando na internet.

Por sorte, somos livres. Podemos fazer o que quisermos. São tantas possibilidades maravilhosas. E escolhemos ser CEO.

O importante é fazer.

E promover.

E como tá todo mundo ocupado a gente não consegue olhar pro lado. E nem nos percebermos como sociedade. Tá todo mundo sozinho nessa. Mas você pode comprar o maravilho curso daquele coaching explicando como ele conseguiu e você também pode.

Estará só, mas rico!

Temos que aproveitar e nos apegarmos as coisas boas da vida. Já pensou virar pobre? E velho? Nem pensar. A gente matou a morte. Precisamos ser especiais. Não há tempo a perder pensando na vida.

Não fica chateado com esse texto. Isso é negativo e não pega bem. E nem triste, porque te faz parecer fracassado.

Tem outro lance: como somos incapazes de ficarmos puto da vida é impossível dizer não! Porque tudo é possível e de tudo você é capaz. Que ciclo maravilhoso, não é mesmo? Já estamos ocupados com tantas coisas o que é mais uma coisinha? Não seja fraco.

E assim…. verdade, verdade, verdade mesmo nem precisa ser. Virtual é suficiente. Não esquece do like.

“O excesso da elevação do desempenho leva a um infarto da alma”

Somos nossos próprios carrascos. Não precisamos de ninguém enchendo o saco sobre a importância de produzir, trabalhar e aparecer porque essa voz é interna.

Sem mamãe gritando na nossa orelha, porque nada pior que a voz constante dentro da nossa cabeça. Sem pausa. Sem descanso.

A gente tá muito lascado!

Só temos uma saída:

festejar.