A doença (será?) da internet…

O mundo reclama constantemente em uma nuvem morta que ninguém presta atenção mais para a vida real e fica muito vidrada em aparelhos eletronicos… Mas… Será que não ajuda?

Esse artigo não é sobre “a era moderna” e blablablas… Leia com intenções pacientes.

Eu pratico yoga, sou budista. Budistas e yogins praticam a não-violência e com a meditação constante a gente sente a natureza humana no seu nivel sintetizado. A síntese humana é– no vocabulário pobre e invertido do popular atual– otimizada na sua pureza. Ou seja, você aí, sem sentir fragmentos de sentimentos dentro de si de pessoas ao redor, leitura parcial do pensamento baseada na energia do próximo, você está doente, doente de estress, doente de lixo mental.

O dia que o mundo começou a presenciar uma alteração na comunicação geral, que foi concretamente com o Whatsapp, as pessoas começaram a falar menos, por voz…

Inclusive isso é uma coisa que me dá muita agústia, mas muita angústia mesmo. Eu adiciono alguém que estou interessada em conversar, realmente interessada e diz: Não gosto de falar por ligação.

👆isso é real. um fenômeno INUMANO, honestamente. E triste. E está cada vez maior.

E como as palavras surgiram da fala, da vontade de se comunicar–de expelir sentimentos, explicar o que se sente–, o mundo está ficando “entediado de palavras”, o famoso twite “Meu whatsapp ta muito parado” é ABSURDAMENTE comum. As pessoas estão vendo escrever para outras como um joguinho de mmorpg: “Quanto mais “amigos” no whatsapp melhor”. E acabando com a empatia: “Se nao responder eu bloqueio”.

PORÉM:

A visão espetacular desse fenômeno vem disso: adaptação.

O ser humano adapta-se. MAS… Essa adaptação tem uma estrutura: MANTER OS SENTIMENTOS FLUINDO. Todos eles, seja tristeza até euforia… E o que eu levo em consideração é o final da modinha pelo simples tédio e, no inevitável abandono do whatsapp–assim como qualquer rede social e jogos ficam remotos com o tempo e viram sobressalentes, e morrem–, perceber que não é preciso FALAR NADA (nem escrito nem vocalizado) para sentir amor e conexão com alguém.

Essa é a realidade da adaptação, sempre é para o nosso equilibrio. Todas essas reclamaçoes no twitter– uma rede de “pensamentos para todo mundo ler”– são a pura forma humana de dizer “nós não precisamos escrever nem falar pra termos conexão e sentimento, podemos tocar, sentir, lembrar, ouvir pensamentos. É um grito calado, pois tudo que é da alma não precisa ser dito, aquela famosa frase:

Algumas coisas ficam melhores se não forem ditas.

É a sintese do ser humano ☺ a paz e o amor. É assim.

Obrigada, namastè (que significa “O deus que há em mim saúda o deus que há em voce” Não importando qual seja.)

Alamda.

Like what you read? Give A. A. Balqhin a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.