another story

“I’ll tell you one thing
We ain’t gonna change much
The sun still rises
Even with the pain

I’ll tell you one thing
We ain’t gonna change love
The sun still rises
Even through the rain”

Há semanas eu digo “não, dessa semana não passa. Eu vou colocar minha vida no eixo”. Nem eu sei ao certo o meu conceito de “no eixo” mas não obtive êxito em nenhuma semana. Eu quero virar a noite estudando — fazer resumo, lista de exercício, ficha, mapa mental e tudo o que me for possível. Só me esqueço de que antigos hábitos não vestem novas pessoas. Parece simples, mas é algo que é duro de acreditar logo de cara, ainda mais quando se trata de uma pessoa metódica.

“É inadmissível que eu não faça minhas atividades da mesma maneira como eu fazia no passado.” Isso é quase como um idoso reclamar que é ofensivo que a flexibilidade dele não seja a mesma de quando ele tinha 18 anos. Doce vida são das pessoas que se comparam às outras e não a si mesmas. Eu sempre me comparei a mim mesma. Eu jamais poderia deixar o meu nível cair. Ser nivelada por baixo. Ser média 7. Hoje, as circunstâncias mudaram e assim como elas eu devo mudar. Mudar como? Mudar quando? Por onde eu começo?

Me preocupei tanto com os fatores da mudança que isso gerou uma problemática além do necessário e eu me prendi aos problemas, não à solução. Mudar era a minha solução e eu a fiz de problema. Às vezes parece que se agarrar ao problema dá uma maior segurança que sair da zona de conforto para soluciona-lo. Enquanto a gente se prende às nossas próprias crises internas, sabe o que acontece? Isso mesmo: o mundo não para de girar. O sol continua nascendo todas as manhãs, independente de qualquer coisa. A vida não pára diante das nossas dores e dos nossos conflitos. É a cruel realidade.

De maneira alguma eu estou dizendo que não devemos sofrer porque não há tempo para isso. Sofrer é sim importante, é parte do processo. Só não deve ser o processo por inteiro. Abraçar o problema não o soluciona, não o diminui, não o cala. Eu perdi tanto tempo me apegando a como mudar que esqueci que o propósito da minha mudança é solucionar problemas, não ser mais um. Seja a mudança. Se não souber por onde começar, apenas comece. São passos curtos de uma longa jornada quando a gente decide mudar. E não há motivação maior do que o fato de que independente da mudança progredir ou não, o sol sempre irá raiar no outro dia.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Ana Beatriz’s story.