“Tá vendo como você é louca?”

Quando você ouve isso tantas vezes, passa a acreditar. Ao mesmo tempo, eu tenho um lado racional que teima em bater o pé e dizer: é pura mentira deles, não creia nisso, mais um motivo para não confiar em ninguém.

(Imagem: Relatos de um dia incrivelmente mediano)

Eu tive um ex que me traiu e colocou a culpa em mim, afinal, eu não quis ir para sua casa pouco antes daquela viagem. Esse mesmo também me incumbiu a culpa de um abuso dele e também de qualquer passada de mão que já recebi no transporte público, além de se declarar via email para outra pessoa enquanto parecia tudo bem com a gente. Já pegou na minha barriga e disse que eu “precisava me cuidar, pois antes não era assim”. Nem preciso contar os momentos em que disse ser o único capaz de me amar nessa vida. Certa vez, planejou uma festa surpresa para mim, fingindo que era sua própria, e perguntou agressivamente se deveria convidar um amigo meu que odiava — isso resultou numa briga, no fim do segredo e em um “vê como você é louca”.

Outros relacionamentos notórios imcluíram alguém achando errado eu não fazer cerimônia em usar o banheiro de seu quarto invés daquele de visitas enquanto eu dormia lá; alguém orquestrando o retorno com a ex enquanto namorava comigo mas dizendo que o problema era eu não estar totalmente à vontade com seus amigos que recém havia conhecido; alguém ocultando a viagem com uma ex-namorada que fuçou nossas conversas em seu celular; alguém deixando de me responder pra eu descobrir o namoro e até compreender, mas ser repreendida em parabenizar; alguém me pegando por meses e querendo apresentar à outra ficante, mas repetindo que eu deveria fingir ser só amiga pois “nossa relação era diferente”.

Vê como você é louca. E passa a se ver como um lixo, toda errada, não-merecedora de qualquer coisa boa, culpada de tudo que te fazem de errado.

Então eu me pergunto o que ele vê em mim. Como me atura, como é que consegue me olhar apaixonado, como suporta minhas inseguranças, perguntas e baixa auto-estima. Como pode me achar linda e gostosa, como é que tem todo esse desejo amoroso e sexual por mim. E como é que eu poderia confiar nisso.

As pessoas podem nos enlouquecer.

E, pra falar a verdade, eu só queria acreditar cegamente nelas e parar de ter esses pensamentos obsessivos da possibilidade de alguém repetir todos os meus traumas.