Sonho e rum

Há muito não te via em meus sonhos, mas essa noite você veio até mim.
Não me lembro direito do seu rosto e nem das palavras que disse — se é que disse alguma. Não ficou na minha mente o seu cheiro ou seu calor. 
Ainda assim eu sei que era você, eu te senti de alguma forma.
Acordei com uma vontade enorme de escrever sobre isso pra não perder o pouco que lembro ao longo do dia, pra não esquecer que estive com você. Já te perdi de tantas formas, não posso acrescentar mais uma.
No sonho eu tive dúvidas, me questionei. Acordei pensando que talvez seja um sinal. Ou talvez seja apenas saudade mesmo.

Me perdendo pela internet, caí num livro sobre Cuba. Poucas páginas de muitas memórias da autora. Na última, você: uma receita ilustrada de como fazer um mojito. Não é como você fazia, mas me levou de volta a nós.
Obrigada pela visita. Volte sempre.

Um dia de lembranças para uma noite de presenças.

Like what you read? Give Adeline Daniel a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.