O conhecimento de Programação não devia fazer para deste Novo Perfil do Aluno do Séc XXI, sobretudo…
Fernandes Jorge
1

Respondo por partes:

(1) O conhecimento de Programação não devia fazer parte deste Novo Perfil do Aluno do Séc XXI?

A *competência* transversal (e não o *conhecimento* disciplinar) de programação devia estar implícita no Novo Perfil do Aluno. Representa uma forma de expressão, raciocínio e enculturação cada vez mais imprescindível nos nossos dias – e que o mercado procura e valoriza.

(2) sobretudo com a necessidade premente de novos Profissionais em TI?!

A necessidade de profissionais de TI é premente, mas o argumento é mistificador. A Engenharia de Software e o desenvolvimento de soluções profissionais de TI são hoje muito sofisticados, automatizados e instrumentados, com a programação a representar uma parcela menor (e mal paga). Os lóbis dos recrutadores, que gostariam de ver o mercado saturado, para escolherem à vontade e pagarem salários tão baixos quanto possível, têm levado essa mensagem avante em alguns países. Mas o problema não deve ser colocado dessa forma. As competências transversais de programação são muito importantes em dezenas de outras áreas e em cada vez mais áreas (pense-se, por exemplo, na História e nas humanidades digitais, ou no jornalismo de dados), mas o argumento de que a programação escolar prepara para as profissões de TI é absurdo.

(3) É o que afirma Mitch Resnick : Reading, Writing, and Programming

É um prazer ouvir o Mitchel Resnick e ler os seus escritos, mas, sendo um dos pais do Scratch, está, neste caso, a argumentar em causa própria. Conviria recorrer a argumentadores menos comprometidos. E há-os. Não sei se conhece os textos que o Resnick e outros seus colegas do MIT escreveram sobre o cinco Ps e a antidisciplinaridade. Voltando à questão (1), esses textos são, de forma implícita, excelentes argumentos a favor de uma *competência* transversal de programação e contra um *conhecimento* disciplinar de programação.

Like what you read? Give Antonio Figueiredo a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.