Ela, Ele e o amor

Ela acredita que o amor é eterno, romântico e incondicional. Ele acha tudo isso um mito, para ele o amor é uma emoção — e emoções não duram para sempre. Ela acredita que o amor entre o homem e a mulher só existe um — e é único e exclusivo. Ele acredita que o amor não é um único, são vários — de várias cores e formas.

Ela é arara — e as araras sejam elas canindé, arara-vermelha ou arara-azul, formam casais que perpetuam pro resto da vida. Os casais se mantêm juntos enquanto estão vivos. Uma arara nunca voa só. Ele é beija flor — beija flor é um pássaro intenso, vive em movimento, tem um coração do tamanho do corpo, mas é solitário. É ele e as flores. O beija flor é feliz voando sozinho.

Ela é encanto, ele encantador. Ela quer um ninho, ele quer voar. Até ai, tudo bem, tudo cumprindo o seu ciclo natural, se não fosse o destino cruzar esses dois opostos. Aliás, ele nunca acreditou nesse ditado que os opostos se atraem, pelo menos, até se ver atraído por ela. As trocas de olhares, os sorrisos arrancados, as conversas sem compromissos. É… O ditado se cumpriu, os opostos — a arara e o beija flor — se atraíram.

Hoje os dois são cumplices, e por incrível que pareça, a cumplicidade e a sintonia dos dois dão invejas em muitos casais de canários da terra. Uma coisa é inegável, se esse sentimento dos dois não poderia ter outro nome, se não o amor.

O amor… Ah, o amor… Mas afinal que sentimento é esse? Quem ousará definir o amor? Nem os grandes filósofos, poetas e pensadores conseguiram tamanha façanha. Se nem os grandes sábios souberam definir tal sentimento, quem dirá, um beija flor e uma arara.

Há quem diga que os conceitos do amor são apenas uma história sem fim de um livro aberto de experiências. E de uma coisa o beijo flor e arara tem certeza: Ambos estão felizes, e felizes sonham em ficar. E como ele sempre diz pra ela, é melhor sentir do que pensar. Até porque, tem coisas que a razão não entende, alias quem entenderiam um beijar flor e uma arara, juntos e felizes?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.