Tudo o que você precisa saber sobre mídias sociais e comunicação interna

As mídias sociais apresentam grandes oportunidades para a comunicação interna, porém é um grande desafio para o dia a dia da organização. A informação extrapola os muros, quebra o processo de comunicação e possibilita que o colaborador seja o protagonista.

A primeira dúvida surge: é benéfico ou prejudicial permitir o uso de redes sociais durante o horário de trabalho? Hoje, com o grande crescimento do uso dos smartphones e a internet nos celulares, mesmo que a organização bloqueie as mídias sociais, os colaboradores acessam pelo seu celular pessoal. Como agir no caso de algum colaborador publicar abertamente algum problema da empresa? O uso das redes sociais requer um código de conduta, planejamento e gestão de crise. Nesse caso, o colaborador deve ser chamado para uma conversa face a face. Dessa forma, deve ficar claro que as mídias sociais devem ser utilizadas em caráter profissional e com parcimônia.

O grande benefício é fortalecer o relacionamento, funcionando ao lado dos canais tradicionais de comunicação. Em algumas organizações, apenas parte dos colaboradores tem acesso aos comunicados e acontecimentos por e-mail. As redes acabam sendo um canal para escoar as informações.

Para incorporar as mídias digitais na comunicação interna, o maior desafio é a comunicação se posicionar de forma estratégica, e que colabore no desenvolvimento digital e na mudança da cultura organizacional. É um processo sem volta, criar uma comunicação de mão dupla, dando voz aos colaboradores e estar disposto a ouvir, criar reflexões e aceitar feedbacks negativos.

Segundo Correa, ele separa a comunicação em 1.0 e 2.0. A Comunicação 1.0 tem pouca interferência das expressões da comunicação com receptor ou usuário. Como exemplo os portais corporativos, as intranets, os jornais eletrônicos, newsletter e mensagens por correio eletrônico.

Já na 2.0, o receptor participa e pode gerar conteúdo e intervir no processo comunicacional. Exemplos os blogs, salas de bate-papo, sistemas de compartilhamento de fotos, rede corporativas.

O maior desafio, sem dúvidas, é criar uma cultura de participação e de integração de relações de poder estabelecidas. A quebra de hierarquia de informação, onde o chão de fábrica tem acesso a mesma informação que o chefe.

Compreendemos que é uma realidade o uso das mídias sociais nas organizações, e deve ser criado em conjunto com as áreas de comunicação, tecnologia e gestão de pessoas, um processo de desenvolvimento da comunicação, com transparência, diálogo e agilidade. Um novo canal demanda maiores cobranças e responsabilidades. Para que a comunicação interna seja um espaço de trocas, de interação, de participação e de compartilhamento, o diálogo e a transparência devem ser os valores da organização. Mas, paradoxalmente, as relações internas devem continuar promovendo a comunicação face a face.

Agora reflita: Você acredita que o uso das mídias sociais está presente na comunicação interna?

Referências:

Wilson da Costa Bueno, Comunicação Empresarial -Estratégia de Comunicação nas Mídias Sociais.