La Plata, Argentina. Foto: Agatha Azevedo

Desacato

Ainda sinto a brisa
O toque, o abraço
Ainda sinto seus olhos
Ainda me irrito..

Que diferença faz cada segundo
Se eu vou quebrar tudo no final
E, fingindo que há chão, cuidar de mim
Apoiada em qualquer tipo de solidez pífia?

Solidão, uma criação ridícula 
D’um bando de desocupados
Que rasgam a CLT do coração 
Nesse desvio de função chamado amor

Porque devo fazer de ti meu abrigo 
Se teu teto é fraco 
E a tempestade te leva num sopro?
Porque tanta hipocrisia?

Por Agatha Azevedo, no dia 07 de maio de 2017

Trechos sádicos de um desacato cômico e sagaz de sábado a noite, retirados de uma poesia completa que jamais será publicada.