Jéssica Scherer representa a Unisinos nos JUBs 2015

Estudante de Educação Física da Universidade disputará a modalidade salto com vara em Minas Gerais

Jéssica Scherer (esquerda) no pódio dos Jogos Universitários Brasileiros (JUBs) de 2014 (Foto: Arquivo Pessoal)

A 63ª edição dos Jogos Universitários Brasileiros (JUBs) ocorre na cidade de Uberlândia, Minas Gerais, entre os dias 14 e 25 de outubro. A Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) vai ser representada na modalidade salto com vara pela estudante de Educação Física, Jéssica Scherer. “Eu me sinto muito feliz por poder fazer algo que eu gosto muito, mas junto com a felicidade vem um pouco de nervosismo. Também tenho esperança de fazer uma boa competição e talvez trazer uma medalha”.

Jéssica conheceu o salto com vara em 2010. Ela treinava na equipe de atletismo de Ivoti para o Heptatlo, quando o treinador viu que era uma atleta bastante técnica e tinha potencial para o salto com vara. A partir de então, começou a treiná-la para saltar.

A estudante de Educação Física tem experiência em competições estaduais e nacionais com o atletismo. Participou dos Jogos Escolares em Maringá, no Paraná; do Campeonato Brasileiro Interclubes de Menores em Bragança Paulista, município de São Paulo; no Campeonato Brasileiro de Menores em Uberlândia, Minas Gerais; no Campeonato Brasileiro Interclubes de Juvenis em Porto Alegre e nos Jogos Universitário Brasileiros de 2014, em Aracajú, capital de Sergipe.

Na competição dos JUBs de 2014, Jéssica conquistou medalha, porém ela sublinha outras questões. “Todas essas competições foram muito importantes para mim, mas elas trouxeram vivências e aprendizagens fundamentais para a construção do meu eu. O esporte me trouxe grandes amigos, pessoas que se tornaram importantíssimas para mim e que participam da minha vida ainda hoje”, disse.

No futuro, a estudante espera transmitir os ensinamentos que o esporte a trouxe para as crianças, ao se formar professora de Educação Física. “Não pretendo ser atleta, participo de competições, porque gosto muito do Atletismo. Pretendo passar os ensinamentos para crianças para que elas consigam construir valores como saber perder, saber ganhar, ter companheirismo, seguir regras, não desistir de seus objetivos e saber se levantar quando cair”, afirma. “Esse tipo de coisa não se aprende lendo, assistindo vídeos na internet ou com bons conselhos. Uma pessoa só consegue lidar, realmente, com esses desafios quando tiver que enfrentá-los. O esporte é o meio mais prazeroso e verdadeiro, que eu conheço, para que isso realmente transforme a vida das pessoas. E no futuro eu espero que essas crianças saibam usar isso em suas vidas”, complementa.

(Imgem: Divulgação)

Jéssica Scherer compete neste final de semana nos JUBs 2015. De acordo com o portal da Confederação Brasileira de Desporto Universitário (CBDU), ao todo, 520 instituições de ensino superior e 58 mil atletas de 18 a 24 anos participam das etapas estaduais e federal. “Alguns atletas que estarão no Rio em 2016 também competirão em Uberlândia. Os JUBs revelam talentos. Cerca de 60% a 70% dos medalhistas olímpicos passaram pelo esporte universitário”, afirmou Luciano Cabral, presidente da CBDU, em declaração ao próprio site da instituição.

“Quando somos universitários, com trabalho e a família, não se tem tempo suficiente para treinar como atletas de alto rendimento. Então, seria maravilhoso se as pessoas pudessem praticar esportes simplesmente pelo prazer ele que nos traz. E se não conseguissem fazer isso por gostar, que o façam pela importância que ele tem para a saúde. Com atividades físicas regulares, podemos nos livrar do consumo de alguns remédios e várias doenças podem ser evitadas. Se o hábito de fazer atividades físicas não veio no ensino fundamental ou no médio, que eles consigam isso na faculdade. A Unisinos oferece monitorias para que seus alunos pratiquem diversos esportes sem ter que pagar nada por isso. E os que já fazem isso, que continuem com o bom humor, a garra e o talento que eles têm”, Jéssica Scherer.



One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.