BrazilJS Conf 2015 — eu fui!

Já se passou mais de uma semana do maior evento de JS desse universo (ouvi dizer que há outro universo em que há outro evento de JS ainda maior), chega a hora de escrever (ou acabar de escrever?) um post sobre o mesmo.

Ano passado (2014), quase fui, este ano (2015), quase não fui, sim, confesso que estava pensativo se realmente valeria a pena todo o esforço com tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo.

Quer saber se valeu a pena?

Continue lendo.

Anyway, eis que um dia qualquer, que não me recordo exatamente quando (mas isso importa?), o Joselito Júnior faz um RT de um Tweet do Tableless de um sorteio; 5 ingressos para a BrazilJS 2015. Quase sem pensar, fiz o mesmo, RT no Tweet. Então, algumas semanas depois…

Sim, caros colegas, eu ganhei 1 ingresso para a BrazilJS 2015!

Obrigado novamente, Tableless!

Minha reação, foi mais ou menos essa:

Era o empurrão que precisava para comparecer ao evento. :)

Atualmente moro em Santa Catarina, então, numa quinta-feira de sol percorri aproximadamente 625KM até Porto Alegre — Rio Grande do Sul, e não foi de bike.

Eu indo para POA.

Cheguei em POA na metade da tarde de quinta-feira, parecia que choveria, só parecia (but who cares?). Um pouco sobre POA/Porto Alegre no nosso momento Wikipedia abaixo:

Porto Alegre é um município brasileiro e a capital do estado mais meridional do Brasil, o Rio Grande do Sul. Pertence à mesorregião metropolitana de Porto Alegre e à microrregião de Porto Alegre. Com uma área de 496,682 km², possui uma geografia diversificada, com morros, baixadas e um grande lago, o Guaíba.

Enfim, chega de conversa fiada, vamos ao que interessa!

1º dia, sexta-feira, 21 de agosto de 2015

E finalmente chegou o grande dia! A distância entre o hotel até o local do evento, Shopping Center BarraShoppingSul, é de aproximadamente 6.5Km/7Km, então após alguns minutos de táxi, cheguei.

Não conhecia o BarraShoppingSul, na real, não conhecia POA, mas foi relativamente fácil de encontrar a entrada para o credenciamento do evento, de longe avistei um grupo gigante de pessoas deslocando-se para a entrada.

O credenciamento era super organizado IMHO, havia de 4 a 5 filas separadas por um range de letras, parece estúpido, mas isso facilita e muito as coisas. Parabéns aos organizadores! Porém, algo estranho ocorreu, quando chegou minha vez de fazer o check-in e pegar a credencial, não encontraram meu nome…

…mas nada que uma caneta não resolva, anotaram meu nome na credencial e tudo se resolveu, #BrazilJS lá vou eu! :)

WOW!

Essa foi minha reação ao me deslocar para o piso do evento.

A foto ficou ruim, eu sei.

Nessa altura do campeonato, já pude perceber que não tinha valido a pena, tinha valido a galinha inteira percorrer aproximadamente os 625Km.

Apesar de ter chegado antes do evento começar, já havia muita gente, e até mesmo o Chris Heilmann estava no palco.

Dave Mustaine e Chris Adler no palco para mais um show de metal pesado!111onze

Enquanto o show, digo, o evento não começava, aproveitei para explorar o espaço do evento. Havia o espaço dos patrocinadores e o espaço BrazilJS, neste último em particular, tinha alguns consoles antigos e até mesmo arcade, bem como um ponto de vendas do Eu Compraria.

Nesse mesmo espaço, o irmão do Leo estava vendendo rifa para ajudar seu irmão a vencer o câncer! Você pode ajudar também, considere uma doação. :)

No espaço dos patrocinadores, estavam, Globo.com, Microsoft, W3C, Liferay, GoDaddy e Mozilla. Todos tinham coisas interessantes, mas na minha opinião, o espaço da Mozilla era o melhor, não só pelos chocolates e pelo café, mas pelas demostrações de tecnologias ali presente.

20 anos de JS…

Sim, 2015 o JS completa(ou) 20 anos de existência, e a temática do evento foi de coisas que fizeram sucesso nos anos 90, como já suspeitava, pelas zueiras no site oficial, teria alguma coisa dos Power Rangers! E teve, a abertura do evento foi uma luta comicamente épica entre Power Rangers combatendo o mal, bateu a nostalgia neste momento. Confira comigo no replay os vídeos abaixo.

PS: Contém cenas fortes!!!11

Passado a vergonha alheia de todos, Jaydson e Felipe subiram ao palco para contar um pouco da história do evento que acontece desde 2011, e percebe-se o quão organizado e dispostos os caras eram já naquela época. Novamente, parabéns! Após a apresentação e abertura oficial do evento, Daniel Filho, o apresentador de programas de auditório nas horas vagas subiu ao palco para chamar o primeiro palestrante do dia, Dave Mustaine.

As palestras…

Vamos lá, ao todo foram 21(?) palestras, segue minha opinião sobre:

PS: Repositório com alguns slides você encontra aqui.

PS2: Tentarei ser breve.

…do 1º dia

Chris Heilmann — ES6 — Baseline para a web moderna?

O hype para essa palestra estava alto, pelo menos pra mim, que sempre tive curiosidade de ver uma palestra do Chris, pois ao julgar pelos seus tweets, percebe-se que o cara é bem carismático.

Usando uma analogia com o baixista de uma banda de Rock, Chris convida todos a repensarem alguns (pre)conceitos que temos como desenvolvedores.

Chris também apontou alguns problemas e deixou perguntas no ar; devemos usar ES6/ES2015 hoje, mas para tal precisamos de um compilador, tal qual o Babel, porém não estamos realmente usando, estamos apenas escrevendo.

Douglas Campos — Use lowlevel

Douglas Campos, mais conhecido como QMX, abordou um assunto bem técnico; compiladores.

Acredito que talk do Douglas não foi muito bem recebido pela audiência, não pelo assunto em si, que apesar de chato para alguns, é de extrema importância, mas pelo fato do Douglas ter feito sua palestra em inglês.

No meio do caminho, era notável que ele havia se perdido, tanto que ele chamou o Daniel Filho para subir ao palco e responder algumas perguntas…

Mesmo a execução não tendo sido boa, foi uma boa palestra.

Felipe Ribeiro — JavaScript @ Spotify

Mesmo o título da palestra sendo “JavaScript @ Spotify”, pra mim, o que mais chamou a atenção na mesma fora os detalhes de como as equipes trabalham no aplicativo desktop do Spotify, além dos processos de deploy.

Damian Schenkelman — Getting over Moore’s Law: Parallelization using JavaScript in the browser

Outra palestra extremamente técnica, e que confesso que fiquei boiando um pouco, mas isso é bom, me fez querer pesquisar mais sobre paralelismo, além do SIMD.

Reinaldo Ferraz — A saga dos 12 tópicos de acessibilidade

Um talk sobre A11Y em um evento de JS não é estranho, deveria sempre ter, afinal, é um assunto muito importante e que, até pouco tempo atrás, quase ninguém dava a devida importância. Muito bom ver este cenário mudando.

#a11ymatters

Tania Gonzalez — The Javascript Toolkit

Sendo bem sincero, não gostei da palestra da Tania. Não sei se era timidez, mas achei que estava faltando emoção na sua apresentação.

De qualquer forma, mesmo o assunto sendo batido, foi interessante relembrar algumas ferramentas que ela citou, por exemplo, Yeoman, teve um hype tremendo algum tempo atrás, hoje parece que é pouco usado, pelo menos no meu caso que, até ano passado (2014) usava em quase todos os projetos, hoje não mais.

Raphael Amorim — 500 days of open source

Uma palestra com teor motivacional eu diria. Raphael contou para nós as lições boas e ruins que ele aprendeu ao topar um desafio pessoal de escrever código útil todos os dias durante 500 dias, tudo isso comitando para o GitHub.

Nicolas Bevacqua — High Performance in the Critical Rendering Path

Acompanho o trabalho do Nicolas (ponyfoo) há algum tempo, e foi muito bacana poder ver sua palestra no BrazilJS. Conforme o Daniel Filho já havia falado anteriormente, o talk do Nicolas foi um dos aceitos no call 4 papers.

A palestra em si foi um resumão de alguns de seus posts no seu blog: http://ponyfoo.com/, e foi excelente.

Nick Desaulniers — Improving game performance on the Web: WASM, SharedArrayBuffer, SIMD, WebGL2

O talk do Nick parecia uma continuação do talk do Damian, e isso não é algo ruim. Nick que trabalha na Mozilla falou dos esforços que estão sendo realizados para tornar a web cada vez melhor em diversas frentes, incluindo games.

David Bryant — Keynote

O CTO da Mozilla encerrou o primeiro dia do evento falando um pouco da sua carreira, da evolução da web e do JS, e do posicionamento atual da Mozilla.

E assim acabou o primeiro dia do evento…

…2º dia, sábado, 22 de agosto de 2015

O 2º e último dia do evento começava com a certeza de que seria ainda mais épico!

E foi…

…palestras

James Halliday — what you can build with a log

Um tal de “substack” literalmente pulou no palco, (não quis saber de escadas para subir) para falar de um assunto que muitas pessoas não dão/davam a mínima (eu estou incluso nesta lista), até o dia da palestra; logs!

Ele começou a palestra dizendo que eventualmente, todos os sites que usamos hoje vão morrer; o Medium que você está lendo este artigo, o GitHub, Twitter, etc. Sabendo disso, então ele explicou a importância dos logs e como podemos usar eles para o bem.

Em tempo real ele construiu alguns exemplos de como usar logs, destaque para o clone do Twitter!

Jacob Page — Writing elegant UI code with FRP

Um dos tópicos mais badalados do momento, Functional Reactive Programming, excelente talk, com direito a interação com o público através de um mini-game multiplayer.

Ju Gonçalves — Reduce: seu novo melhor amigo

A simpática Ju Gonçalves fez uma palestra muito legal sobre o Reduce, demonstrando vários exemplos e casos para uso do Reduce.

A Ju soube conduzir o talk muito bem, mesmo quando teve problemas no live coding.

Diogo Lucas — JS ❤ @AGCO

Diogo trabalha na AGCO, uma empresa de equipamentos agrícolas, tratores, etc. Tendo isso em mente, já podemos imaginar que o talk dele foi no mínimo interessante.

E foi mesmo, ele contou como construíram uma API usando Node.js e MongoDB para comunicação dos equipamentos agrícolas, nada de muito novo na real, mas como falei/digitei acima, foi no mínimo interessante e também curioso.

Laurie Voss — Keynote

Daniel Filho tentando entender a zueira do Nada Parece Melhor.

Mais conhecido como @seldo, Laurie Voss, CTO do Nada Parece Melhor… LOL! Kidding, CTO do npm, fez um talk sensacional explicando e respondendo dúvidas que as pessoas tinham/tem sobre o npm.

A palestra foi muito bem dividida, entre o que era o npm alguns meses atrás, como é atualmente, e como será nas próximas versões. Falando sobre as versões futuras, finalmente teremos uma progress bar quando estivermos instalando algum módulo, essa feature já está disponível na versão beta do npm, para testar é só instalar:

npm i -g npm@beta

Sebastian McKenzie — Consolidation of tools

Apesar de não ser exatamente a mesma palestra, o vídeo abaixo é quase a mesma palestra. :)

Sebastian falou sobre seu projeto, o Babel, explicou o motivo da mudança do nome de 6to5 para Babel, e falou sobre AST. Palestra muito técnica, de um assunto legal.

Microsoft Edge

Um dos palestrantes, Ryan Salva, não pode comparecer ao evento, então, decidiram fazer uma espécie de painel sobre o Microsoft Edge, respondendo dúvidas da galera. Subiram ao palco, Chris, Jonathan e demais representantes da Microsoft.

Dentre as várias perguntas respondidas, destaco aqui a do Leo Beto Souza, que era algo que eu também gostaria de saber. O Leo Beto questionou se algum dia iríamos ver o Microsoft Edge disponível para outras plataformas, como OS X e Linux. Chris foi categórico ao dizer que não, explicando que se você “escrever” um código que funcione no Firefox/Chrome, ele vai funcionar também no Edge, ou seja, vai seguir os padrões.

Fernando Miçalli — Placar UOL: Copa do Mundo e Eleições 2014 ao vivo com Node.js e WebSockets

Fernando contou como o Placar UOL foi construído desde o ínicio, todas as dificuldades que tiveram no meio do caminho, e todas as soluções que usaram para resolver os problemas encontrados.

Um talk muito bem elaborado e executado, um dos melhores na minha opinião.

Jonathan Sampson ECMAScript 6: O que Há de Novo, O que Mudou, O que tem de Bacana ou de Estranho!

Uma palestra BACANA!

Eu não conhecia o Jonathan Sampson antes da BrazilJS, mas caramba! O cara é muito engraçado, e sabe palestrar! Detalhe, o cara palestrou em português!

O talk dele foi sobre ES6, o que tem de novo, o que mudou, etc… Ele soube aproveitar a oportunidade para fazer merchan do TypeScript podemos dizer assim? Bom, e o que há de errado nisso? Pra mim, nada!

Além do mais, foi uma ótima oportunidade para quem não conhecia “os arquivos .taylorswift”, como eu.

Julián Duque — JavaScript Robotics: A NodeBots show

Lendo o título da palestra já dava para ter noção do que iria rolar. Vendo o video acima então, nem se fala!

Não que robôs + JavaScript seja um assunto chato, mas o que realmente chamou a minha atenção nessa palestra foi perceber a importância da comunidade em projetos como o Nodebots, as vezes ficamos tão focados no conjunto de tecnologias envolvidas em um projeto que esquecemos que este projeto pode ter uma importância muito maior do que tornar nosso dia mais fácil e/ou divertido. Julian deixou isso bem claro no começo da sua palestra, mostrando o envolvimento da comunidade com o projeto, e vice-versa. Muito legal, mesmo!

Brendan Eich — Keynote

O que falar desse keynote de encerramento? Foi épico, tio Brendan explicou alguns fatos da criação do JS e ao final, tirou selfies com 98% do público do evento.

E assim chegou o fim da BrazilJS 2015, as palestras acabaram, mas ainda tinha muita coisa pela frente…

Teve bolo!

Sim, teve bolo! Teve pedido de casamento, teve também uma banda (que não era o Megadeth, mas o Dave Mustaine estava no evento), teve “rodinha punk”, enfim, foi o melhor evento que já participei.

Se no começo estava com dúvidas em relação a minha participação ou não do maior evento de JS desse universo, no final fiquei extremamente satisfeito. Conheci pessoas que só conhecia pela internet, reencontrei velhos amigos, foi épico demais!

Até 2016!

Obrigado Lepard Commerce pelo apoio.