Nessa HQ de tirar o fôlego, Gandara e Vitali partem de um imaginário paleolítico, com reverberações na megafauna, para discutir o valor das escalas e proporções que encontramos nas relações entre as coisas no mundo. Isso traz à tona um conhecimento ancetral e silencioso, de um primitivismo gnóstico, que nos deixa à beira de entrar num vórtex capaz de realojar tempos e espaço. Com o traço vigoroso e austero de Gandara, aliado à narrativa incisiva e desconcertante de Vitali, "Mondo Colosso" é algo que precisa ser lido e visto.

Um fato novo nas histórias em quadrinhos brasilienses. — Ciro I. Marcondes — Raio Lazer