DOR: um sentimento negligenciado

As melhores pessoas que conheço são as que carregam profundas cicatrizes na alma”, não me recordo quem é o autor de tal frase, mas Nicholas Sparks, um autor norte-americano, parafraseou-a em um de seus livros. Gosto dessa frase por que ela fala sobre um sentimento pouco valorizado: a dor. Penso que a dor é, por vezes, negligenciada. As pessoas pedem a Deus para que tirem determinada dor de seu coração, mas se esquecem que durante a “má-fase” é que elas vão refletir, repensar determinadas condutas, certos hábitos, amadurecer.

Deus tem sim o poder de retirar num só sopro toda a sua dor. Mas, vem cá… E seja sincero, por favor, caso você extirpasse da sua vida, todos os momentos tristes, que te levaram a infindáveis reflexões, que te fizeram mudar e crescer como ser humano, o que restaria? Provavelmente, uma pessoa imatura emocionalmente.

Volto a afirmar que nós negligenciamos a dor. Não damos a ela o devido valor. Gostamos de sorrir, mas nos esquecemos que sorrisos não fazem amadurecer. Pessoalmente não tenho em minha vida nenhum exemplo de pessoa que teve de sair da sua zona de conforto, que teve de buscar um novo sentido, uma nova maneira de viver, num momento alegre e feliz. Isso ocorre num momento de dor. Com a dor é que a gente cresce e se fortalece.

Não quero que me interpretem mal, não estou aqui desmerecendo sorrisos. Só quero lembrar o quão importante é o aprendizado na vida. E a gente só aprende com lição e, infelizmente, toda lição traz aquele aperto no peito. Sabe aquele sentimento de “como eu queria voltar no tempo”, acredito que este seja um desejo de quase todo mundo, quando a gente faz algo errado, com algo ou alguém, quer consertar voltando no tempo. Pra mim, este é um desejo imaturo.

Se eu não errar, jamais vou aprender a consertar. Tenho inúmeros arrependimentos na vida, assim como imagino que a maioria tenha, mas quer saber? Não voltaria atrás por nenhum deles; pois se eu conseguir extrair o que eu preciso aprender com eles, sei que vou me tornar uma pessoa melhor. Esteja certo de que somos todos pedras brutas e Deus, ao longo da vida, vai nos lapidando. Por mais doloroso que seja o processo, o final vai valer a pena. Creia nisso você também.

Ailto Roberson Seibert

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.