A Solidão é um Like de Facebook

João Doederlein
Apr 27, 2017 · 2 min read
fotografia por Olivia Bee

Quando você desapareceu, eu te procurei. Eu te liguei. Mas como eu já imaginava, ninguém abriu a porta quando eu toquei a campainha. Você me viu do lado de fora. Você ouviu o telefone tocar. Sabendo da dificuldade de dizer adeus, preferiu que a ausência falasse por você. Você se fantasiou de fantasma pra morar no meu passado. Mas assombrou o meu presente em cada música do Ed Sheeran que tocava na rádio. Você era o passado não-terminado mais presente que eu carregava por todo o lado.

Você me viu parar de procurar. As pessoas ao meu redor viram também. Meus amigos me viram furar o cinema e o bar. As pessoas liam meus textos diariamente, narrando com profunda melancolia a sensação de guardar comigo um isqueiro só pra acender o seu cigarro como desculpa pra conversar. Solidão só é bonita quando veste o verso do escritor. Milhares de compartilhamentos sobre o relato de estar sozinho, procurando alguém. Como pode estar assim, sem ter ninguém?

O tempo passa, a gente cresce, pessoas somem, a gente esquece. Tem quem fique, e a gente agradece, mas se ficar demais, muda muito, pelo o que me parece. Quando se é pequeno, tudo é motivo pra se encontrar. A gente cresce e dificulta só pra poder se abraçar. Nossa rotina não é a mesma, e lista de "assistidos recentemente" do Netflix também não.

A tristeza gera like, e um snap dá a sensação de companhia. Tanta gente querendo ser nossa amiga, mas quando entra na nossa vida, tira duas fotos, grava um vídeo, e desaparece. Tanta gente me vendo ficar na mão. Tanta gente ficando também. Criam juntos um grupo no Facebook pra compartilhar os memes e esquecer da bad. Criam juntos uma distração. Milhares de distraídos compartilhando posts pra rirem mais alto do que a dor no coração.

Eu conheci alguém de novo. E mais uma vez, depois de do primeiro mês, eu senti aquele aperto. E todo mundo me viu sentir. Eu via os outros sentindo esse aperto e fingindo que não. O aperto premeditado de quem sonha em estar errado.

Tantas grandes pequenas celebridades, cada um de nós tem seu próprio público, assistindo de camarote a nossa vida. Somos um show. Eu sou também. Mas às vezes desconfio que algumas pessoas que passam por aqui só querem os quinze minutos pra si, as luzes e o roteiro.

Esbarrei naquela sua foto do Facebook, alguém em comum te stakeoou e deu like pra te avisar (e acabou me avisando de você). Escutei a música que eu não devia (foi sem querer, era um cover no discover do spotify). E todo mundo viu.

João Doederlein

Written by

Ressignificador de palavras profissional, poeta de apartamento, e criador do Contos Mal Contados http://on.fb.me/1PW436R

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade